Menu

Reportagens

18/09/2020

Perto De Casa

Escondidas no interior dos municípios da Serra Gaúcha, estão propostas de experiências aconchegantes e intimistas

Pitanga (Foto: Ricardo Zeni Moreno)Haras (Foto: Priscila Boeira)Pitanga (Foto: Priscila Boeira)Pitanga (Foto: Priscila Boeira)Pitanga (Foto: Ricardo Zeni Moreno)Boroto (Foto: Priscila Boeira)

Sítio Pitanga Nativa

Linha Armênio, em Monte Belo do Sul

Em 2015, a bancária aposentada Leni Canossa Fae decidiu dar um novo propósito à sua vida. Em busca de sossego, trocou Bento Gonçalves (RS) por um sítio localizado nas terras de seus antepassados na Linha Armênio, em Monte Belo do Sul.

Quem passa de carro pela frente da propriedade não consegue enxergar toda beleza escondida. Nos fundos da casa em que Leni reside se prolongam 6 hectares bem distribuídos entre mata nativa, criação de ovelhas, patos, gansos e uma legítima casa de pedra dos tempos da imigração italiana. Quando começou a reformar o sítio, em 2003, a primeira providência de Leni foi restaurar essa casa erguida em 1877 pela família de seu bisavô, Henrique Bruschi.

A ideia para o nome do sítio surgiu durante uma conversa. Sua filha perguntou que árvores eram aquelas que cresciam em abundância. ?Como esse terreno ficou tanto tempo abandonado, as pitangueiras nativas cresceram sem nenhuma interferência. É algo que não se vê com muita frequência nas redondezas. Foi aí que decidi batizar o sítio com esse nome?, recorda.

Os primeiros hóspedes ampliaram sua perspectiva. A mestre em turismo, Ivane Fávero, e o marido, Rômulo de Freitas, criadores do blog Viajante Maduro, eram velhos conhecidos de Leni. ?Um dia eles apareceram aqui e disseram que queriam se hospedar na casa de pedra. Eu não estava preparada. Eles não se importaram e me ajudaram a arrumar. Foi quando Ivane me cadastrou no Airbnb. Eu nem sabia que isso existia. Foi o início de tudo?, conta.

Leni é uma anfitriã atenciosa, que adora conversar e fazer com   que seus hóspedes se sintam à vontade. O local é ideal para se isolar em casal, com a família ou com um grupo de amigos. São 12 leitos no total. Em breve serão inauguradas duas novas suítes, pensadas especialmente para receber viajantes que necessitam de acessibilidade. A vista será um presente. Os futuros quartos permitirão observar o pôr do sol decaindo sobre parreirais de Monte Belo do Sul. Informações: (54) 99953-2209.

 

Famiglia Boroto

Linha Presidente Soares, em Garibaldi

Todos os anos a Famiglia Boroto recebe estagiários de diferentes cantos do mundo para aprender como cultivar uvas, colher e elaborar vinhos orgânicos. A propriedade de Acir Boroto foi a primeira do país a comercializar espumantes sem nenhum aditivo químico. Longe dos roteiros badalados como Vale dos Vinhedos e Caminhos de Pedra, localizada na divisa entre Garibaldi e Santa Tereza, a propriedade se torna um refúgio procurado por quem não dispensa uma experiência genuína e sem protocolo.

No início dos anos 2000 os Boroto vendiam toda produção vinífera para a Bacardi-Martini Brasil e se viram sem rumo quando a empresa encerrou as atividades na cidade. ?Ninguém queria nossa uva, só se fosse de graça. Nesse ano começamos a fazer vinho sem qualquer experiência. Sou produtor, não sou enólogo. No ano seguinte lotamos um ônibus com 36 pessoas para conhecer produtores de uvas orgânicas. Desses, 6 resolveram apostar no cultivo alternativo. Eu fui um deles?, diz.

Boroto é um anfitrião carismático, que se sente realizado em ensinar seus alunos e a encantar os convidados. Por lá é possível visitar parreirais quase centenários e fazer uma degustação de vinhos, enquanto prova a charcutaria orgânica produzida para consumo próprio. O visitante pode esperar por um local simples e acolhedor, de mesa farta e muito calor humano, típico de uma casa que vive em festa. ?Estamos resgatando variedades esquecidas como o Vermont, Gamay, Peverella e Polenta. Em breve teremos muitas novidades?, garante o produtor.

O local dispõe de uma pousada com três dormitórios, cozinha equipada e churrasqueira. A família também oferece visita guiada pela região. Informações: (54)99611-9435.

 

Haras Recanto do Gaúcho

Bento Gonçalves

Aqui as tradições e a natureza proporcionam um dia inteiro de diversão e descanso. Frequentado por turistas, mas ainda mais pelo público local, Haras Recanto do Gaúcho é um local indicado para curtir em família.

Ao chegar o visitante é recepcionado pelo proprietário, Michel Contini, e a mascote, o pônei Neymar. No quintal repleto de plantas frutíferas reina soberana uma araucária de 200 anos. Em todos os cantos há algum detalhe que encanta. O visitante se depara com plantas semeadas em botas velhas, ferraduras entrelaçadas formando móbiles e muita criatividade. Há diversos animais como porquinho da índia, coelhos, ovelhas, galinhas, cavalos e potros. As pessoas se aconchegam sobre palets para tomar chimarrão, enquanto a criançada brinca pelo gramado. A brinquedoteca foi fechada em função das regras de isolamento social, mas o café colonial continua sendo servido, seguindo todas as regras exigidas pelos órgãos de vigilância.

?Eu viajava pelo Brasil trabalhando com móveis planejados e via que o pessoal gostava do contato com animais e a natureza. Sempre tive cavalos e pensei em como poderia aliar alimentação com entretenimento. Sempre tive convicção de fazer algo diferente dos outros estabelecimentos, mantendo a essência do nosso estado?, destaca Michel.

O turista tem ainda a oportunidade de fazer um passeio de 30 minutos a cavalo e saborear o tradicional costelão. Informações: (54) 99609-4785.

 

Priscila Boeira