Menu

Notícias

Maiara Perottoni é a Rainha da Festa Nacional da Uva 2019

"Confraternizar com a família, cultivar as amizades, conhecer pessoas e lugares diferentes, estar perto de quem ama", são as atividades que a Rainha da Festa Nacional da Uva 2019 mais gosta. A seguir, o perfil completo da nova representante oficial da maior festa popular cultural do Sul do Brasil

Maiara perottoni e a rainha da festa nacional da uva 2019 "Sempre admirei concursos que valorizassem a mulher pela sua inteligência, desenvoltura, cultura, capacidade de se expressar e de representar uma comunidade, a sua gente, a sua história" "A oportunidade de ser a Rainha da Festa Nacional da Uva é a forma de agradecer, celebrar e nunca esquecer a trajetória de conquistas dos imigrantes que aqui chegaram, como a de meus familiares"

Maiara Perottoni 

Idade: 25 anos

Altura: 1,80

Peso: 63 Kg

Cor dos Olhos: Castanho claro

Signo: Peixes

Entidade: Festa do Vinho Novo de Forqueta, Supermercados Andreazza e Lorigraf Gráfica e Editora

Filiação: Ademir Perottoni e Gesmari Biasibetti Perottoni

Naturalidade: Natural de Farroupilha e residente em Caxias do Sul há 15 anos.

Profissão: Estudante

Escolaridade: cursando Nutrição no Centro Universitário da Serra Gaúcha.

Concursos que já participou: Escolha de Reis e Rainhas da Escola José Generosi de Forqueta em 2005, Escolha de Reis e Rainhas do Colégio Estadual São Tiago em 2009, Escolha da Rainha e Princesas do Sindicato da Alimentação do Rio Grande do Sul em 2012 e Soberanas da Festa do Vinho Novo de Forqueta de 2016.

Títulos já conquistados: Princesa da Escola José Generosi de Forqueta 2005, Rainha do Colégio Estadual São Tiago 2009, Princesa do Sindicato da Alimentação do Rio Grande do Sul 2012 e Rainha da Festa do Vinho Novo de Forqueta de 2016.

PERFIL DA CANDIDATA       

Hobby: Confraternizar com a família, cultivar as amizades, conhecer pessoas e lugares diferentes, estar perto de quem amo. Também gosto de realizar atividades de cunho comunitário e engajamento social, como o projeto em minha comunidade direcionado às crianças: “A Rainha conta histórias”.

Um livro: O tempo e o Vento – Érico Veríssimo

Um filme: A árvore dos tamancos de Ermanno Olmi

Uma cor: Rosa

Um lugar: A natureza

Uma comida: Sopa de agnoline

Uma personalidade: Papa João Paulo II

Uma virtude: Comprometimento

Um defeito: Ansiedade

Um conselho: Tenha fé, siga em busca de concretizar os seus sonhos, preze pelos valores que herdou de sua família, ame o próximo e agradeça pela vida a cada dia.

Uma frase: “O segredo é não correr atrás das borboletas. É cuidar do jardim para que elas venham até você”. Mário Quintana

SOBRE CAXIAS DO SUL

Uma qualidade de Caxias que você destaca: Empreendedorismo

Um lugar especial do município: A réplica de Caxias do Sul de 1885, localizada nos pavilhões da Festa da Uva. Inaugurada em 1978, é um conjunto arquitetônico de casas de madeira, cuja construção retratou rigorosamente a Caxias da época. Além das casas, o local compreende a igreja, o salão paroquial e o coreto, a casa de comércio, o Museu da água e o Memorial da festa.

O lugar ou símbolo que melhor representa a cidade (Por quê?): A Igreja São Pelegrino. Sua história está vinculada aos primórdios da imigração e a fundação da cidade. Nela encontramos a riqueza das produções de Aldo Locatelli, com a série de murais e pinturas em tela que representam a Santa Ceia, o Sagrado Coração de Jesus, a Nossa Senhora de Caravaggio, a Criação do Cosmo, o Juízo Final e a Via Sacra. As portas em bronze criadas por Augusto Murer ilustram cenas da imigração, da ocupação do solo e do trabalho, com imagens cheias de movimento que exaltam a vida. Também encontramos a réplica da Pietà de Michelangelo, presente do Papa Paulo V1 ao centenário da imigração italiana.

SOBRE FESTA DA UVA

O que a Festa da Uva significa para você?

A Festa da Uva é o encontro da comunidade para celebrar. Celebrar a cidade, o progresso, divulgando o trabalho da nossa gente, o turismo, a cultura, a gastronomia, a indústria e o comércio. É o momento de reverenciar os produtores que continuam cultivando a nossa rainha maior, a uva, movidos pelos pilares da fé, da família e do trabalho. A Festa da Uva representa a história, a coragem de um povo que não desistiu na adversidade, pelo contrário, com fé e esperança fez brotar uma pujante cidade, que hoje acolhe gente de todos os povos.

Por que quer ser Rainha da Festa da Uva?

Sempre admirei concursos que valorizassem a mulher pela sua inteligência, desenvoltura, cultura, capacidade de se expressar e de representar uma comunidade, a sua gente, a sua história. A oportunidade de ser a Rainha da Festa Nacional da Uva é a forma de agradecer, celebrar e nunca esquecer a trajetória de conquistas dos imigrantes que aqui chegaram, como a de meus familiares, que tiveram forte participação no desenvolvimento da cidade. Uma homenagem especial ao meu tataravô Arthur Perottoni, que foi o patriarca do cooperativismo na região de Forqueta, fundando em meio à crise de 1929 a 1ª Cooperativa Vitivinícola da América Latina, a qual perdura até os dias de hoje. Neste contexto, preservar as nossas raízes, que são a essência do que nos tornamos.

Ser Rainha é ter a oportunidade de carregar e divulgar as diversas culturas, as diferentes histórias, o espírito aguerrido e vitorioso da gente de Caxias, com ternura, simplicidade e o grande carinho que sustento por essa terra.

Sobre o traje: Minhas vestes prestam homenagem ao meu tataravô Arthur Perottoni e a minha tataravó Maria Bampi Perottoni e foi inspirado em foto de suas bodas de ouro. O vestido evidencia técnicas manuais através do crochê e bordados – richilieu, linhas e pedrarias. O crochê é tramado em fio de seda e os demais panos e tecidos tem a mesma composição. Para chegar a coloração, vários tecidos foram embebidos em mosto, aproximando da melhor forma possível ao fabrico do vinho, fazendo analogia aos garrafões que o envasam. O richilieu, que contorna gola e mangas, representa brasões com uvas, mostram a pele e reconhecem que todos somos iguais, de corpo e alma, independentes de qualquer etnia. A anágua, que delicadamente se percebe nas tramas do crochê, traz bordados em seu corpo, trechos do diário de Arthur Perottoni, que enfatiza la famiglia, la fraternita e la unione! As mesmas inscrições encontram-se no verso da joia, também tramada em forma de dressa, com um cacho de uva e a imagem de Nossa Senhora – a família, a fraternidade, a união, tudo sempre com muita fé. O vestido foi desenhado por Carolina Potrich e Fabrício de Prá, com crochês de Ilma Neumann Potrich, Margarete Nesello Bianchin, Renita Faoro Perin e Roseli Carvalhais; bordados de Elisete Mazzarotto, Fabrício de Prá e Marlene Guzzo; e confecção de Carmen Lúcia Buniatti Magnani, Fabrício De Prá e Leticia Maria Milani.