Menu

Notícias

19/08/2020

Economia de Caxias do Sul tem alta em junho

Indicadores divulgados nesta terça-feira (18) pela CIC e CDL da cidade também atestam retração de 12,2% no primeiro semestre, em relação ao mesmo período do ano passado

O Índice de Desempenho Industrial (IDI/Caxias) mostrou que a indústria recuperou força em junho sobre maio de 2020, com índices positivos em vendas, compras, massa salarial, horas trabalhadas e utilização da capacidade instalada (Foto: Alessandra Perez/CIC)

A economia caxiense voltou a crescer em junho e registrou alta de 11,3% sobre o desempenho do mês de maio. Mesmo com este avanço positivo, a atividade econômica de Caxias do Sul acumulou uma queda de 12,2% no primeiro semestre de 2020 e recuou 4,7% no acumulado dos últimos 12 meses. Os números do mês de junho foram divulgados por videoconferência nesta terça-feira (18) pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). “Com certeza os números refletem os resultados da crise da pandemia”, disse a vice-presidente de Serviços da CIC Caxias, Maristela Tomasi Chiappin, na abertura da apresentação à imprensa.

O diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Caxias Astor Schmitt acredita que estes números dão um retrato bastante positivo do momento. “Assim como afirmamos em abril que o fundo do poço tinha sido atingido, os números estão progressivamente confirmando isso”, comentou. Em relação a março, por exemplo, o desempenho de abril foi negativo em 24,8%; e o de maio, 16% superior a abril. “Isso caracteriza um quadro de “despiora” progressiva. O nível de gravidade que a pandemia nos impôs equivale a dois períodos de enormes dificuldades em anos recentes: 2009, 2012/2013, mas nada comparável à crise de 2015/2016, quando afundamos de forma bem mais grave e relevante do que hoje”, analisou Schmitt.

Na análise do desempenho setorial, o comércio foi o segmento que apresentou maior redução acumulada de janeiro a junho, com queda de 16,4%, seguido pelos serviços, com menos 14,6%. O Índice de Desempenho Industrial (IDI/Caxias) mostrou que a indústria recuperou força em junho sobre maio de 2020, com índices positivos em vendas, compras, massa salarial, horas trabalhadas e utilização da capacidade instalada.

No entanto, estes mesmos indicadores industriais tiveram números negativos na comparação entre junho de 2020 com junho de 2019, fazendo com que no geral o desempenho da indústria fosse 5,3% menor neste comparativo.

Empregos – Caxias do Sul registrou 2,9 admissões e 3,5 demissões em junho, resultado em um saldo negativo de 607 postos de trabalho. Este resultado marcou o quarto mês seguido de mais demissões do que contratações no município. No acumulado do ano, o mercado de trabalho sofreu uma queda de 8,5%. O estoque total de empregos com carteira assinada hoje é de 144.639.

Mercado externo - No comércio internacional, o saldo da balança comercial apresentou queda de 32,6% no acumulado dos últimos 12 meses, situando-se em U$ 253 milhões neste período. O Chile liderou o destino das exportações caxienses em junho. Em seguida vêm Estados Unidos, México, Argentina e China, que juntos somam cerca de 31% do total. Já o ranking dos países de origem das importações locais mostra que a China lidera com 42%. Em seguida vêm Estados Unidos, Itália, Alemanha, Suécia e Índia. Os bens de capital (máquinas, equipamentos e materiais de transporte) estão no topo da pauta tanto das exportações como das importações caxienses. 

Também participaram da coletiva o diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Carlos Zignani, o vice-presidente Financeiro da CDL, Rui Cassina, e o assessor de Economia e Estatística da CDL, Mosár Leandro Ness.

 

Informações | Marta Sfreddo  - Edição | Caroline Pierosan