Menu

Legado

08/04/2020

Imunidade & Saúde

Como uma alimentação saudável pode ajudar empresários e equipes a manter potencializado seu ativo mais valioso?

"Há também o mito, no qual muitas pessoas acreditam, que se alimentar de uma forma saudável é mais caro, mas isso não é verdade" (Ademir Pierosan) " A saúde, sem dúvida, é o nosso bem mais precioso. Sem ela é muito mais difícil (se não impossível) realizar qualquer coisa" (Caroline Pierosan) "É importante seguir um estilo de vida saudável. Isso significa praticar atividades físicas e manter o sono e alimentação balanceados" (Samanta Tomazoni) "Alguns nutrientes são importantes para o fortalecimento do sistema imunológico, principalmente os chamados antioxidantes  e os anti-inflamatórios como alho e gengibre" (Samanta Tomazoni) "Poder exercer essa influência positiva é o que mais nos gratifica" (Ademir Pierosan) "A fome oculta é uma múltipla carência de vários nutrientes ao mesmo tempo" (Daniela Kappes) "Atividade física deve fazer parte da nossa rotina. A grande questão, é encontrar uma atividade física que seja prazerosa, que você goste de praticar. Caso contrário você desistirá" (Cosme Buzzachera)

A pandemia chegou e colocou a todos nós em estado de profunda preocupação “e se minhas equipes forem contaminadas”? Sem falar na preocupação com a própria vida, dado o fato de que grande parte dos principais empresários da Serra Gaúcha estão em faixa etária considerada grupo de risco (acima de 60 anos), ou aproximando-se dela. E a saúde dos mais jovens, como vai? Eis a grande questão. Como vai a saúde de todos nós? Essa parada obrigatória, sem dúvida, tem sido uma experiência que nos tem motivado a refletir sobre inúmeras questões de nossas vidas e rotinas, mas, especialmente e, em absoluto, tem nos feito pensar sobre saúde. Sim, ela, a saúde (em sua perspectiva integral, considerando corpo, mente e emoções), sem dúvida, é o nosso bem mais precioso. Sem ela é muito mais difícil (se não impossível) realizar qualquer coisa.

Além dos necessários cuidados com higiene (agora redobrados), temos sido constrangidos a pensar também sobre outras questões mais abrangentes relacionadas à saúde na sua integralidade. Sobretudo, diante de uma doença para a qual não há remédio ou vacina, ficamos à mercê da defesa proporcionada pela nossa imunidade. E como vai o nosso sistema imunológico? Temos investido na sua manutenção? Temos dormido o suficiente? Temos praticado exercícios? E quanto à nossa alimentação? O curioso é que, em meio a nossa correria do dia a dia, vivemos como se ter ou não saúde fosse algo que não dependesse (tanto assim) de nossa interferência. Quando na verdade, sim. Temos (e muita) influência sobre esse quesito.

 Na contrapartida da omissão à essa questão, pode-se dizer que, manter a saúde em dia,  e a imunidade estável, é uma relação “fifty / fifty” - (50% / 50%) - ou seja, o potencial para ser saudável é recebido por carga genética. A partir disso, o contexto, a experiência de vida e os cuidados que você dedicar para manter a sua saúde determinarão a sua qualidade de vida, a sua longevidade e o potencial do seu sistema imunológico, tão necessário num momento como esse (diante de uma pandemia), podendo esse ser justamente o divisor de águas entre a sua sobrevivência ou não, e sobre a forma como você vai atravessar o ataque desse e de tantos outros vírus e bactérias que ainda nos acometerão (garantem os cientistas).

Imunidade é a capacidade de o próprio corpo administrar corpos invasores (vírus e bactérias) podendo defender-se de tais ataques, mantendo o organismo original em pleno funcionamento. O sistema imunológico é um conjunto complexo de moléculas, células, tecidos e órgãos que cumprem funções específicas em uma resposta coordenada para neutralizar vírus, bactérias, fungos e parasitas — antes que sejam fatais ao corpo. No caso da pandemia que enfrentamos (covid-19), como ainda não há medicamentos ou vacinas para proteger as pessoas desse vírus, combatê-lo depende inicialmente da capacidade de resposta de cada indivíduo à doença. Portanto, nesse e em diversos outros casos, ter uma imunidade em dia é vital para ajudar na luta contra a infecção e na recuperação do doente.

Sono, Esporte e Alimentação. São os pilares da imunidade. Normalmente pensamos pouco sobre isso, não é? Talvez menos do que deveríamos. Sobre esses assuntos falaremos a seguir, no intuito de motivar novas rotinas de vida.

Apresentamos, no decorrer das próximas páginas, a preciosa entrevista com o engenheiro agrônomo e empresário Ademir Pierosan, líder da Detella Restaurantes Empresariais. Há 30 anos a organização defende a causa da alimentação saudável, proporcionando essa possibilidade a milhares de pessoas todos os dias. Juntamente com a sua contribuição publicaremos destaques da médica nutróloga e responsável técnica pelo Centro de Oncologia do Hospital do Círculo em Caxias do Sul Daniela Kappes. Sobre exercícios físicos, destacaremos alertas do Professor Associado do Departamento de Saúde Pública, Medicina Experimental e Forense da Universitá di Pavia, Itália, Membro do American College of Sports Medicine e American Physiological Society Cosme Buzzachera. Também compartilharemos orientações da nutricionista coordenadora de Qualidade da Detella Restaurantes Empresariais Samanta Tomazoni sobre uma alimentação que pode auxiliar a manter a imunidade equilibrada.

A exposição que preparamos para esse momento é, mais que tudo, um convite para cultivarmos pensamentos que produzem atitudes de mudança.

 

NOI: Na prática, qual é a grande diferença da proposta da sua empresa em relação as propostas tradicionais desse mesmo mercado?

Ademir Pierosan: O mercado, de um modo geral, remete para praticidade, e isso vai na contramão do que nós fazemos. Para fazer esse tipo de alimentação mais saudável, com ingredientes naturais, dá trabalho. Por exemplo, existe no mercado a batata em flocos, um pó, ao que tu acrescentas água, esquenta e mistura, e está pronto o purê. Nós, compramos batatas, lavamos, descascamos, cozinhamos, amassamos e temperamos... e aí temos o purê. Veja a diferença entre um processo e outro. São várias etapas a mais. Isso vale para os temperos (genuínos, colhidos em nossas hortas orgânicas ou adquiridos de bons fornecedores), como também para o suco (feito exclusivamente de frutas) servido na grande maioria de nossos restaurantes, e assim por diante...

 

Por que que a empresa optou por essa proposta de alimentação saudável?

Além de ser ex-agricultor, sou engenheiro agrônomo. Na faculdade aprendemos sobre os riscos de consumir alimentos industrializados (que tem muitos componentes químicos que causam ou podem causar danos à saúde das pessoas). No fundo isso é pouco divulgado, somos muito mal informados sobre essa questão. Mas garanto, que o assunto é sério.

 

Te referes a “nós” como comunidade?

Isso, “nós”, no Brasil, somos mal informados sobre essas questões.

 

Então você teve referências na tua formação, na tua graduação em Agronomia e também foste buscar por iniciativa própria, por se interessar pelo assunto. É basicamente uma causa que tu defendes?

Exato. Comecei a praticar em minha casa e pensei: por que não aplicar esse conceito de preparar alimentos saudáveis na empresa? Começamos aos poucos e gradativamente fomos ampliando os diferenciais. Com o apoio da minha sócia e das nutricionistas, isso foi acontecendo. Aliás, nossas nutricionistas admiram esse projeto porque vai bem de encontro ao que elas estudam.

 

Imagino que seja um desafio também fazer com que a equipe assimile esses processos, e os torne cotidianos.

A equipe que trabalha conosco é preparada e treinada para fazer dessa maneira. Não temos “plano b”. Não existe batata em flocos na empresa, ou temperos como caldo de galinha. O preparo das refeições tem que ser com produtos naturais.

 

Você disse que os valores para esse tipo de proposta vieram da tua formação e da tua experiência de vida. Quando você ingressou na empresa e começou de fato a fazer o negócio prosperar, atuando na área comercial e também na gestão, você buscou alguma referência desse tipo de modelo de negócio no mundo, no Brasil, ou na região Sul? Você encontrou algum outro grupo no qual pudeste se espelhar e buscar referência para desenvolver esse trabalho de gerar alimentação saudável também em restaurantes empresariais?

Não conheço outro projeto assim. Se existe, no Brasil, ou no mundo, eu não conheço. Acredito que nós somos pioneiros com essa proposta de alimentação saudável para as empresas. Somos um grupo de vanguarda nesse aspecto.

 

Qual é o desafio de um pioneiro no segmento?

Nossos clientes, de um modo geral, amam o projeto. Eles gostam e querem essa oferta. Todavia, é importante ter um valor competitivo também, e é aí que entra o desafio da gestão enxuta da empresa. A nossa meta é manter esse nível de alimentação e manter um atendimento de excelência.

 

São 30 anos à frente desse negócio diferenciado. Qual é a tua percepção do porque é difícil, ou, até, não tão simples, fazer com que as pessoas busquem, por iniciativa própria, uma alimentação mais saudável?

Tem a questão dos hábitos e dos costumes. As pessoas têm dificuldade de quebrar paradigmas. Por exemplo, quem foi acostumado a comer frituras... é difícil mudar esse estilo de alimentação e começar a buscar um novo projeto mais saudável. Reduzir as frituras, comer mais saladas e legumes é complicado para muitas pessoas, porque representa mudança de hábitos. Há também o mito, no qual muitas pessoas acreditam, de que se alimentar de uma forma saudável é mais caro, mas isso não é verdade. Felizmente, no Brasil, a alimentação no geral é econômica. Então dá para se alimentar bem com uma dieta saudável. Só que, às vezes, dá um pouco mais de trabalho; tem que ir na feira comprar, lavar os legumes, preparar... em contrapartida se a pessoa quer uma sopa industrializada, ela vai no mercado, compra, esquenta e está pronto. É o mesmo exemplo que mencionei sobre a batata em flocos. Nossa vida é feita de opções e decisões, essa é uma delas.

 

É um trabalho a mais momentâneo, mas que talvez irá prevenir a necessidade de um outro trabalho posterior, ou seja, outros cuidados mais sérios com a saúde, futuramente...

O alimento saudável tem a questão de, talvez, requerer um pouco mais de trabalho para ser produzido, mas quanto trabalho (e gasto) temos ao ter que ir para o médico, comprar remédios, ou não trabalhar por problemas de saúde? Nós temos certeza de que a alimentação muito industrializada um dia vai prejudicar a saúde das pessoas. Não há dúvida! Aí, os gastos passam a ser destinados para tentar curar o corpo, para restaurar a saúde que poderia ter sido preservada desde sempre.

 

Vocês observam (entre os clientes) que as equipes que se alimentam nos restaurantes de vocês acabam tendo menos problemas de dor de estômago, dor de cabeça, menos imprevistos com mal-estar? Como é esse feedback?

Quando inauguramos um novo cliente, que antes consumia um serviço tradicional, uma das frases que escutamos é ‘nós eliminamos a farmácia na empresa’. Temos muitos retornos positivos. Um dos mais impactantes que nós recebemos foi o de uma empresa que avalia os funcionários com os exames periódicos. O RH dessa empresa cliente nos informou que depois que passamos a servir a alimentação para eles os resultados dos exames tornaram-se muito melhores. Isso sim é um retorno importantíssimo! Ficamos muito felizes!

 

Sim, porque vocês conseguem ver o resultado na vida do cliente, diretamente. Como você avalia a relação das pessoas com o cuidado com a sua alimentação na Serra Gaúcha? Percebes que isso não é prioridade para gestores de equipes ou entendes que essa necessidade já está mais assimilada e as pessoas, em sua maioria, se preocupam com isso?

Sabes que está crescendo o nível de exigência? Felizmente! Principalmente os gestores de Recursos Humanos estão se preocupando com que tipo de alimentação as suas equipes receberão. Então isso está mudando positivamente sim. As empresas gostam e querem a proposta da alimentação saudável, mas o valor precisa ser competitivo. 

 

Muitas pessoas relacionam a comida saudável a uma comida sem sabor, não tão gostosa. A comida que vocês servem é tão saborosa quanto uma comida feita com temperos prontos?

É mais saborosa! Em hipótese alguma alimentação saudável remete para alimentação sem gosto. De jeito nenhum! Alimentação saudável é equilibrada em termos nutricionais e os ingredientes naturais realçam o seu sabor.

 

Considerando todo o trabalho realizado, o que é o mais gratificante para vocês?

Em primeiro lugar, estamos conscientes do alimento que estamos entregando para as pessoas. Isso nos deixa felizes porque sabemos que os clientes estão se alimentando bem. Igualmente importante: nossos funcionários estão aprendendo com a empresa e praticando esse projeto em suas casas.

 

São valores que eles levam para suas famílias?

Exatamente. Considerando os funcionários, clientes e os membros de suas famílias, podemos afirmar que milhares de pessoas são diretamente impactadas positivamente por esses princípios. Temos ouvido que os clientes observam, absorvem e aplicam esses valores da alimentação saudável em suas vidas. Poder exercer essa influência positiva é o que mais nos gratifica.

 

Pensando nisso tudo, o que vocês planejam para o futuro da empresa?

Vamos fortalecer a marca, cada vez mais, promovendo esses valores, e fornecendo uma alimentação saudável, que é sinônimo de alimentação saborosa e equilibrada nutricionalmente. Então esse projeto continua. Temos o objetivo de ir crescendo aos poucos, ano a ano, mas, principalmente, queremos que todos os nossos clientes estejam satisfeitos. Porque eles serão, em tese, nossos divulgadores. Quando alguém se interessa sobre esse assunto e busca opinião do nosso cliente, nossa expectativa é que ele nos recomende pelo trabalho que praticamos em sua empresa.

 

O que completar 30 anos de empresa significa para ti?

Para nós não é só um negócio, não é só ganhar dinheiro. Existe um projeto sendo realizado e queremos continuar com ele, aprimorando cada vez mais. É um privilégio poder levar para tantas pessoas esse conceito da alimentação saudável.

_____________________________________________________________________________________________________________

 

FOME OCULTA

A Importância da Biodisponibilidade na Construção Da Saúde

Daniela Kappes, Médica Nutróloga, Responsável Técnica pelo Centro de Oncologia  do Hospital do Círculo em Caxias do Sul

Estamos vendo nessa série de casos de pessoas que apresentam os sintomas da COVID-19 que os pacientes que estão evoluindo de forma mais agressiva são os que possuem outras comorbidades. Isso já é um sinal de que tanto a imunidade quanto a saúde global da pessoa está comprometida. Então os pacientes cardiopatas, os pacientes diabéticos, e os pacientes pneumopatas, eles é que estão sendo muito afetados, porque essas já são doenças que cursam com uma imunidade reduzida. Entre os pacientes oncológicos, felizmente não temos visto tantos casos. Isso porque o paciente oncológico, que faz quimioterapia, que faz radioterapia, já é um paciente educado para se preservar, para ter hábitos de vida saudável, para não se expor a riscos.

Fazendo um link com a questão da imunidade temos um termo técnico chamado de “fome oculta”. A fome oculta pode ser presente em crianças, mas, especialmente, em adultos e em pessoas de mais idade. Normalmente avaliamos o paciente por seu peso e altura, ou seja, pela sua composição corporal. Entretanto essa pessoa pode ter o peso adequado para a altura mas ter diminuição de massa muscular (o que chamamos de sarcopenia), e cursar com deficiência de várias vitaminas e minerais: ferro, zinco, magnésio, cobre, vitamina A, vitamina B... E isso é uma coisa que agrava qualquer doença, seja uma infecção pelo COVID-19, seja qualquer outra situação que essa pessoa vá se defrontar na vida.

 

Biodisponibilidade

Cuidar dessa harmonização, da biodisponibilidade, ou seja, dos nutrientes que fornecemos ao nosso organismo, é bem importante. O peso é um dos parâmetros. Mas temos que estar com nossos níveis séricos otimizados. Vamos imaginar o caso do ferro, por exemplo. O valor de referência (dosado no exame de sangue) é de 50 a 150; para estarmos com a biodisponibilidade boa, temos que estar mais perto dos valores superiores, que são os valores das reservas nutricionais. As pessoas, comumente, além de não estarem com exames otimizados, estão com valores abaixo do mínimo, então isso é o que caracteriza a fome oculta. É uma múltipla carência de vários nutrientes ao mesmo tempo. Precisamos imaginar que o nosso corpo funciona como um efeito dominó.

 

Efeito Dominó

Quando um órgão não está funcionando de forma adequada, ele exerce um efeito cascata, sobrecarregando os outros. Isso vale para nossa imunidade, para nosso metabolismo, para tudo na nossa vida. Então essa doença (COVID-19) está nos servindo como um alerta. Precisamos aproveitar esse momento para darmos uma guinada no nosso estilo de vida, para começarmos a trabalhar com consciência na construção da nossa saúde.

 

Receitas do Bem

Temos que pensar sobre de que maneira vamos lidar com tudo que vai acontecer nas próximas semanas. Isso vai ser determinante para o nosso desfecho. Se a gente vai comer bem, se vamos manter a rotina adequada. Não é porque estamos com essa limitação geográfica (confinamento) que devemos deixar de ter cuidado com nosso corpo, alimentação e higiene pessoal. Isso, agora, mais do que tudo é essencial.

________________________________________________________________________________________________________________

 

ANTIOXIDANTES

São alimentos que favorecem o bom funcionamento das células de todo o corpo contrariando o efeito danoso do estresse

Samanta Tomazoni, Nutricionista Coordenadora de Qualidade da Detella Restaurantes Empresariais

Nos meses de inverno é muito comum encontrar pessoas com sinais e sintomas de gripes, resfriados, rinite, asma, bronquite e infecções respiratórias no geral. Algumas atitudes cotidianas podem contribuir para nos proteger contra essas doenças. No entanto, manter o sistema imunológico em bom funcionamento deve ser uma das nossas prioridades para evitarmos esses desconfortos. Nosso sistema imunológico é responsável por defender o organismo contra micro-organismos causadores de doenças. O fortalecimento do sistema imunológico é uma medida prudente e, para isso, é importante que as pessoas usem a nutrição e os bons hábitos de vida como aliados. Além disso, alguns nutrientes são importantes para o fortalecimento do sistema imunológico, principalmente os chamados antioxidantes (que combatem os radicais livres e protegem o corpo de doenças) e os anti-inflamatórios como alho e gengibre.

Os alimentos antioxidantes favorecem o bom funcionamento das células de todo o corpo contrariando o efeito danoso do estresse ou da má alimentação. Os radicais livres são moléculas produzidas naturalmente pelo organismo durante processos como respiração e produção de energia. Essas moléculas reagem com componentes do corpo, podendo causar diversos danos à saúde. Para evitar e neutralizar a ação dos radicais livres, o organismo produz moléculas chamadas antioxidantes. Também podemos encontrar esses antioxidantes nos alimentos. Podemos listar os principais como: 

Ômega 3: encontrado em peixes como sardinha e atum e, também, na semente de linhaça. Age como anti-inflamatório auxiliando o sistema imune.

Zinco: encontrado em carnes em geral, semente de abóbora e cereais integrais. O zinco tem função antioxidante, combatendo as ações nocivas dos radicais livres. A carência desse mineral pode debilitar o sistema imunológico.

Gengirol: é um potente antioxidante e anti-inflamatório encontrado no gengibre. Além de ser considerado um expectorante natural, age estimulando o sistema imunológico. Pode ser adicionado no suco (1 colher de sopa de gengibre ralado, duas vezes por dia) ou servido para fazer chá (2 colheres de sopa de gengibre fresco para 1 litro de água).

Alicina: substância encontrada no alho, que tem ação anti-inflamatória. O alho pode ser utilizado em vários preparos do dia a dia.

Vitamina C: antioxidante encontrado principalmente em frutas cítricas (laranja, limão, abacaxi) e nos vegetais verdes escuros (brócolis, espinafre, couve). Dois copos de suco natural de laranja são o suficiente para atingir as recomendações diárias.

Vitamina E: antioxidante encontrado em carnes, ovos, óleos vegetais e nas oleaginosas como nozes, castanhas e amendoim.

Vitamina A: antioxidante encontrado principalmente em fígado, gema de ovo, óleo de peixe e vegetais amarelos/alaranjados (cenoura, abóbora).

Além de consumir esses nutrientes, também é importante seguir um estilo de vida saudável. Isso significa praticar atividades físicas e manter o sono e alimentação balanceados. Alimente-se bem, tenha uma dieta balanceada, rica em nutrientes e vitaminas. O importante é variar as preparações, evitando consumir sempre os mesmos alimentos. 

________________________________________________________________________________________________________________

 

REPENSAR PRIORIDADES

Precisamos nos perguntar: quanto nos movimentamos ao longo de nossos dias? A atividade física é um elemento protetivo da nossa saúde, pois aumenta a nossa imunidade

Cosme Buzzachera, Professor Associado do Departamento de Saúde Pública, Medicina Experimental e Forense da Universitá di Pavia (desde 2019), Membro do American College of Sports Medicine e American Physiological Society. Buzzachera trabalhou como fisiologista na Seleção Brasileira de Hóquei sobre a Grama e Seleção Brasileira de Ciclismo na preparação dos Jogos Rio 2016. Atualmente, é membro do medical board da Pan American Field Hockey Federation.

O mundo está doente, e com dificuldades financeiras. Isso gera ansiedade. Você ficar dentro de casa pode fazer com que essa ansiedade se eleve ao máximo, mas, também, pode ser um momento oportuno para repensar prioridades. Agora precisamos manter a nossa boa alimentação, evitar ao máximo estresse e buscar as respostas na ciência e tecnologia. Talvez estejamos, nesse momento, pagando o preço de muitos erros anteriores. Nesse tempo que estamos tendo para pensar, talvez estejamos nos dando conta de que, muitas coisas que fazíamos antes já não tem tanto sentido.

Quando pensamos numa vida saudável, no que tange a atividade e o exercício físico, precisamos nos perguntar: quanto nos movimentamos ao longo de nossos dias? A atividade física é um elemento protetivo da nossa saúde, pois aumenta a nossa imunidade. É importante tentar manter essa rotina, mesmo em casa. Se você consegue entender que o mundo parou por causa desse vírus, vai compreender a importância de estar em casa.

Agora para o nosso futuro? Atividade física deve fazer parte da nossa rotina. A grande questão, é encontrar uma atividade física que seja prazerosa, que você goste de praticar. Caso contrário você desistirá. Pesquisas apontam isso: as pessoas só conseguem manter rotinas de atividades que lhes proporcionam prazer. Ou seja. Pare de se torturar achando que você precisa começar a correr, ou a fazer qualquer outra coisa que as outras pessoas fazem (no que tange a exercício). Encontre uma atividade que você gosta e pratique-a com constância e equilíbrio.

 

ENTREVISTAS I CAROLINE PIEROSAN
FOTOS I JOSUÉ FERREIRA