Menu

Legado

16/12/2020

Alimentação, Resultado e Imunidade

Uma rotina alimentar equilibrada e natural pode aumentar o rendimento de uma equipe, prevenir doenças e contribuir para a manutenção das boas defesas do organismo?

"Temos ouvido que os clientes observam, absorvem e aplicam os valores da alimentação saudável em suas vidas. Poder exercer essa influência positiva é o que mais nos gratifica" (Ademir Pierosan) "O alimento saudável, talvez, requeira um pouco mais de trabalho para ser produzido, mas quanto trabalho (e gasto) temos ao ir para o médico, comprar remédios, ou não trabalhar por problemas de saúde?" (Ademir Pierosan) "Temos implantado as hortas próprias na maioria de nossos restaurantes. Assim o cliente pode acompanhar o crescimento dos temperos e conhecer exatamente o que é utilizado em sua alimentação" (Josedete Gavazzoni)

“Sim! Sem sombra de dúvida”, afirma Josedete Gavazzoni, idealizadora da Detella Restaurantes Empresariais. “Quando inauguramos um novo cliente, que antes consumia um serviço tradicional, uma das frases que mais escutamos é ‘nós eliminamos a farmácia na empresa’. Temos muitos retornos positivos”, complementa Ademir Pierosan, engenheiro agrônomo e empresário, diretor da empresa. “Um dos relatos mais impactantes que já recebemos foi o de uma empresa que avalia funcionários com exames periódicos. O RH desse cliente nos informou que, depois que passamos a lhes servir a alimentação, os resultados dos exames tornaram-se muito melhores. Esse retorno é importantíssimo”, ressalta o visionário, seguro do seu propósito. 

Há 30 anos a organização defende a causa da alimentação saudável, proporcionando essa possibilidade a milhares de pessoas todos os dias. Em tempos extremamente desafiadores, como o que vivemos, percebemos, de forma ainda mais clara o que ter (ou não) saúde significa. A pandemia de corona vírus que nos fez permanecer muito mais restritos em nossas casas por meses (até então, no Brasil), nos obrigou a refletir sobre uma das palavras mais citadas pela humanidade nos últimos dias: imunidade.

“É importante salientar que a alimentação saudável pode auxiliar a manter a imunidade equilibrada”, afirma Jose. Juntamente às entrevistas dos empresários, que defenderão o tema da alimentação natural e contarão suas histórias de empreendedorismo e vanguarda no segmento, compartilharemos recomendações elaboradas pela nutricionista e coordenadora de qualidade da empresa Samanta Tomazoni, para uma alimentação rica em elementos antioxidantes, que podem auxiliar a manter a imunidade. 

A exposição que preparamos é, mais que tudo, um convite para cultivarmos pensamentos que produzem atitudes de mudança. Movimentos que, de acordo com Ademir, o trabalho da empresa tem motivado em muitos. “Considerando os funcionários, clientes e os membros de suas famílias, podemos afirmar que milhares de pessoas são diretamente impactadas positivamente por esses princípios. Temos ouvido que os clientes observam, absorvem e aplicam esses valores da alimentação saudável em suas vidas. Poder exercer essa influência positiva é o que mais nos gratifica”, conclui, convidando à leitura. 

Caroline Pierosan: Qual é a principal diferença entre a comida produzida pela Detella Restaurantes Empresariais para uma comida tradicionalmente não comprometida com valores saudáveis? 

Josedete Gavazzoni: Temos como diferencial produzir nossa alimentação com temperos naturais proporcionando aos nossos clientes sabor, saúde e satisfação. Buscamos trabalhar sempre com produtos que possuem valor nutricional.

Vocês têm um valor, como empresa, de proporcionar não só uma alimentação que agrade ao cliente, mas que também faça bem à sua saúde. É possível alcançar ambos os objetivos? 

O paladar de cada um é único. Recebemos as solicitações e procuramos adaptar o pedido do cliente, com o objetivo, sempre, de agradar a maioria. Nosso propósito é servir o alimento o mais natural possível, para que as pessoas tenham saúde. O desafio é, também, claramente, contemplar o paladar do cliente, que é sensível. Compreendemos que a hora da refeição é uma hora de descanso para o profissional, e que deve ser um momento prazeroso, durante o qual ele se sinta bem. Por isso nosso foco é, igualmente, o bom atendimento.  Além disso temos um cuidado especial com o ambiente. Sempre temos muita atenção com o local em que as pessoas vão comer. Planejamos todos os restaurantes para que sejam lugares agradáveis. 

É muito mais do que fazer comida?

Com certeza! A refeição em nossos restaurantes precisa ser um momento de lazer, descanso e prazer. 

O que que as pessoas mais gostam? Quais são os elogios que vocês mais recebem? 

Nossos clientes gostam muito do sabor da nossa comida, por ser uma comida com tempero caseiro. Usamos temperos naturais e eles gostam muito. Nosso suco natural também é bastante elogiado. O básico, que é o arroz e feijão, é sempre muito saboroso. Recebemos muitos elogios sobre essa combinação.

Que projetos vocês têm desenvolvido para poder aproximar a equipe e os clientes dos valores da alimentação saudável? 

Nossa meta é servir uma alimentação saudável com elementos naturais e, concomitantemente, promovermos a conscientização das pessoas sobre o tema. Fazemos isso todos os dias. Desde o momento em que um funcionário começa a trabalhar na empresa, já na integração, ele é informado a respeito de como nós produzimos as refeições. Alguns estranham pois vêm de outros restaurantes empresariais comerciais, onde tudo é possível (fazer uma sopa com caldo de galinha, por exemplo). Então “e agora, como eu faço uma sopa sem temperos artificiais?”, perguntam-se. Aí esse profissional começa a perceber que é possível fazer uma sopa com frango, com temperos naturais, e que, inclusive, ela fica mais gostosa. Em relação ao suco é a mesma coisa, como fazer um suco natural? Como fazer um feijão sem óleo? Nós ensinamos!

As pessoas foram criadas e acostumadas a cozinhar de outra forma... 

Exato. Mas desde o momento em que o profissional se candidata a trabalhar em nossa empresa, já lhe explicamos o nosso conceito, bem como as coisas que não podem ser usadas em nossas cozinhas. É bem interessante. Depois de um tempo em que estão na empresa costumamos ouvir dos funcionários que, também em suas casas, estão praticando os conceitos da alimentação saudável. Deixam de consumir refrigerantes, fazem suco natural, não consomem embutidos (como salsicha), consomem manteiga em detrimento da margarina, deixam de fazer frituras... 

Deve ser muito gratificante!

Sim! Além do serviço prestado a clientes, a empresa desenvolve esse trabalho de conscientização. Temos também um projeto chamado “Boa Forma” a partir do qual convidamos as funcionárias que queiram participar a virem à central da empresa, onde participam de palestra com nossas nutricionistas que lhes explicam o valor nutricional correto dos alimentos. Assim elas podem ter clareza das escolhas no dia a dia. 

Esse é um desafio da pessoa que trabalha com alimentação? Se manter no peso saudável?

Com certeza, pois estamos sempre diante da comida. É importante destacar que o nosso projeto não visa exatamente o emagrecimento, mas sim, a reeducação alimentar, a saúde. Então, nesse programa, os funcionários têm palestras sobre alimentação, sobre o consumo de fibras, sobre a quantidade de água que devemos tomar, e sobre a importância dos exercícios físicos. Quem quer pode participar. Começamos esse programa em 2019 e vamos continuar o projeto porque os resultados foram muito interessantes. Também proporcionamos aos funcionários os materiais necessários para compor uma horta doméstica (enviamos um recipiente com terra, sementes e instruções sobre como fazer a horta), e eles a prepararam juntamente com seus filhos. Depois podem consumir os temperos naturais cultivados e colhidos em suas próprias casas. 

O projeto das hortas é aplicado com os clientes também?

Sim! Divulgamos nos murais de cada cliente, e com material impresso. Enviamos e-mails sempre informando as novidades. Sempre que temos uma reunião com nossos clientes destacamos nossos diferenciais e, nos últimos tempos, temos implantado as hortas próprias na maioria de nossos restaurantes. Assim o cliente pode acompanhar o crescimento dos temperos e conhecer exatamente o que é utilizado em sua alimentação.  

Hoje uma pauta muito debatida, em empresas de qualquer segmento, é a transformação digital, que está revolucionando muitos negócios. Como vocês têm aproveitado esse momento?

Hoje nossos clientes podem nos acessar instantaneamente, por vários canais. A digitalização nos ajuda a estar mais próximo do cliente para melhor atender suas demandas, com muito mais agilidade. Podemos estar em nossos restaurantes todos os dias por meio de vídeo chamadas. Podemos estar mais próximos também do nosso funcionário. Sempre que precisamos tomar uma decisão, temos dados para isso. Temos um bom sistema de gestão o que também nos ajuda a programar melhor as atividades do dia a dia. Um cardápio bem planejado gera uma solicitação de compras bem calculada o que evita a falta de insumos. Na hora da tomada de decisão é sempre importante nos valermos dessas informações, que, graças à digitalização, podemos ter a cada momento. 

Como funciona a Escola Detella? 

Esse projeto é via intranet. Registramos em vídeo a forma de fazer a maioria dos nossos pratos. Temos um chefe que prepara a refeição e vai explicando como ela deve ser feita, de acordo com nosso padrão. Por exemplo: como as verduras e carnes devem ser cortadas? Isso é gravado e as funcionárias têm acesso aos tutoriais. As coordenadoras de unidades também, podem olhar, sempre que têm dúvidas. Usamos o material para padronizar os nossos processos. 

Por que você decidiu empreender na área da gastronomia?  

Sempre gostei de cozinhar. Aprendi desde pequena, com minha mãe. Na época em que tudo começou eu tinha decidido ficar em casa para cuidar da minha filha recém-nascida. Meus amigos sempre comeram minha comida e gostavam muito. Então começaram a pedir que eu fizesse para eles. Aí surgiu a ideia de fazer refeições e entregar a domicílio. Eu gostava de fazer! Uni o meu objetivo de estar em casa cuidando dos filhos à possibilidade de estar servindo uma refeição saborosa para os amigos e para as pessoas que precisavam.

Por que pediram para você fazer a comida para eles?

Eles trabalhavam em empresas e tinham a necessidade de uma alimentação pronta, servida em casa, na hora do almoço. Então, em horário pré-fixado, entregávamos a vianda quentinha, com a comida caseira. Assim eles podiam se alimentar junto com sua família todos os dias. Começou com um pequeno grupo. Eles foram fazendo propaganda e falando da qualidade da comida. Muitas pessoas começaram a nos chamar para servir essas viandas. Com o passar do tempo pequenas empresas também requisitaram o serviço. Algumas dessas empresas foram crescendo junto com a gente. Mais adiante montamos restaurantes nesses grupos empresariais, e seguimos juntos por muito tempo. 

No primeiro ano do negócio eram mais ou menos quantas refeições servidas por dia?

Produzíamos em torno de 30 refeições diárias. Eles pediam semanalmente “quero refeições de segunda à sexta, ‘tantas’ por dia”. 

Qual é a principal evolução desse mercado, comparando o momento da fundação da empresa com o cenário atual?

Hoje o mercado é muito mais exigente e competitivo. Os restaurantes de empresas possuem um alto padrão. Mas estamos tranquilos pois sempre primamos por fazer uma alimentação com sabor excelente, oferecendo um ótimo atendimento. 

Quando você pensa no futuro, projetando as próximas décadas, que movimentos vocês planejam?

Queremos que nossa empresa cresça, mas que ela mantenha os princípios da alimentação saudável, visando o bem integral das pessoas. Nosso negócio não visa somente lucro. Visa saúde. Continuaremos sendo referência no ramo de alimentação empresarial.

Como você se sente avaliando as três décadas do negócio? 

Me sinto realizada. Tenho uma empresa saudável, segura e estável. É um negócio sólido, com um ótimo conceito no mercado, e valores bem consistentes. Nossos princípios pessoais estão implantados na empresa e queremos que permaneçam para o futuro.

 

 

O que diferencia a proposta da sua empresa em relação as propostas tradicionais desse segmento? 

Ademir Pierosan: O mercado, de um modo geral, remete para praticidade, e isso vai na contramão do que nós fazemos. Para fazer esse tipo de alimentação mais saudável, com ingredientes naturais, temos mais trabalho. Por exemplo, existe no mercado a batata em flocos, um pó, ao que se acrescenta água (esquenta e mistura), e está pronto o purê. Nós compramos batatas, lavamos, descascamos, cozinhamos, amassamos e temperamos... e aí temos o purê. Veja a diferença entre um processo e outro. São várias etapas a mais. Isso vale para os temperos (genuínos, colhidos em nossas hortas orgânicas ou adquiridos de bons fornecedores), como também para o suco (feito exclusivamente de frutas) servido na grande maioria de nossos restaurantes, e assim por diante...

Por que que a empresa optou por essa proposta de alimentação saudável?

Além de ser ex-agricultor, sou engenheiro agrônomo. Na faculdade aprendemos sobre os riscos de consumir alimentos industrializados (com muitos componentes químicos que podem causar danos à saúde das pessoas). Isso é pouco divulgado, somos muito mal informados sobre essa questão. Mas garanto, que o assunto é sério

Você se refere a “nós” como comunidade?

Isso, “nós”, no Brasil, somos mal informados sobre essas questões.

É basicamente uma causa que você defende?

Exato. Comecei a praticar em minha casa e pensei: por que não aplicar esse conceito de preparar alimentos saudáveis na empresa? Começamos aos poucos e gradativamente fomos ampliando os diferenciais. Com o apoio da minha sócia e das nutricionistas, isso foi acontecendo. Aliás, nossas nutricionistas admiram esse projeto porque vai bem ao encontro do que elas estudam.

Imagino que seja um grande desafio fazer com que a equipe assimile esses processos, e os torne cotidianos...

A equipe que trabalha conosco é preparada e treinada para fazer dessa maneira. Não temos “plano b”. Não existe batata em flocos na empresa, ou temperos como caldo de galinha. O preparo das refeições tem que ser com produtos naturais.

Você encontrou algum outro grupo no qual pudeste se espelhar para desenvolver esse trabalho de gerar alimentação saudável também em restaurantes empresariais? 

Não conheço outro projeto assim. Se existe, não conheço. Acredito que nós somos pioneiros com essa proposta de alimentação saudável para as empresas. Somos um grupo de vanguarda nesse aspecto. 

Qual é o desafio de um pioneiro no segmento?

Nossos clientes, de um modo geral, amam o projeto. Eles gostam e querem essa oferta. Todavia, é importante ter um valor competitivo também, e é aí que entra o desafio da gestão enxuta. Nossa meta é manter esse padrão de alimentação e manter um atendimento de excelência.

Por que é difícil, ou, até, não tão simples, fazer com que as pessoas busquem, por iniciativa própria, uma alimentação mais saudável?

Hábitos e costumes. As pessoas têm dificuldade de quebrar paradigmas. Por exemplo, quem foi acostumado a comer frituras - é difícil mudar esse estilo de alimentação. Reduzir as frituras, comer mais saladas e legumes é complicado para muitos, porque representa mudança de hábitos. Há também o mito, no qual muitas pessoas acreditam, de que se alimentar de uma forma saudável é mais caro, mas isso não é verdade. 

Essa escolha poderá prevenir a necessidade de outros cuidados mais sérios com a saúde, futuramente...

O alimento saudável, talvez, requeira um pouco mais de trabalho para ser produzido, mas quanto trabalho (e gasto) temos ao ir para o médico, comprar remédios, ou não trabalhar por problemas de saúde? Nós temos certeza de que a alimentação muito industrializada um dia vai prejudicar a saúde das pessoas. Não há dúvida! Aí, os gastos passam a ser destinados para tentar curar o corpo, para restaurar a saúde que poderia ter sido preservada desde sempre.

Vocês observam que as equipes que se alimentam nos restaurantes de vocês acabam tendo menos problemas de dor de estômago, dor de cabeça, e menos imprevistos com mal-estar? Como é o feedback?

Quando inauguramos um novo cliente, que antes consumia um serviço tradicional, uma das frases que escutamos é ‘nós eliminamos a farmácia na empresa’. Temos muitos retornos positivos. Um dos mais impactantes que nós recebemos foi o de uma empresa que avalia os funcionários com os exames periódicos. O RH desse cliente nos informou que depois que passamos a servir a alimentação os resultados dos exames tornaram-se muito melhores. Isso sim é um retorno importantíssimo! Ficamos muito felizes!

Como você avalia essas percepções de valor na Serra Gaúcha? 

Sabes que o nível de exigência está crescendo? Felizmente! Principalmente os gestores de Recursos Humanos estão se preocupando com que tipo de alimentação as suas equipes receberão. Então isso está mudando positivamente sim. As empresas gostam e querem a proposta da alimentação saudável, mas o valor precisa ser competitivo. 

Muitas pessoas relacionam a comida saudável a uma comida sem sabor. A comida que vocês servem é tão saborosa quanto a feita com temperos prontos?

É mais saborosa! Em hipótese alguma a alimentação saudável remete para alimentação sem gosto. De jeito nenhum! Alimentação saudável é equilibrada em termos nutricionais e os ingredientes naturais realçam o seu sabor.

Considerando todo o trabalho realizado, o que é o mais gratificante?

Estamos conscientes do alimento que estamos entregando para as pessoas. Isso nos deixa felizes porque sabemos que os clientes estão se alimentando bem. Igualmente importante: nossos funcionários estão aprendendo com a empresa e praticando esse projeto em suas casas. 

São valores que eles levam?

Exatamente. Considerando os funcionários, clientes e os membros de suas famílias, podemos afirmar que milhares de pessoas são diretamente impactadas positivamente por esses princípios. Temos ouvido que os clientes observam, absorvem e aplicam esses valores da alimentação saudável em suas vidas. Poder exercer essa influência positiva é o que mais nos gratifica. 

Pensando nisso tudo, o que vocês planejam para o futuro? 

Vamos fortalecer a marca promovendo esses valores, e fornecendo uma alimentação saudável, que é sinônimo de sabor e equilíbrio nutricional. O projeto continua. Temos o objetivo de crescer mas, principalmente, queremos que todos os nossos clientes estejam satisfeitos. 

O que completar 30 anos de empresa significa para você?

Temos um projeto sendo realizado e queremos continuar com ele, aprimorando cada vez mais. É um privilégio poder levar para tantas pessoas o conceito da alimentação saudável.

 

 

ENTREVISTAS I CAROLINE PIEROSAN
FOTOS I JOSUÉ FERREIRA