Menu

Especial

Mãos, Olhar e Energia de Amor

Entenda como a imposição de mãos, o Reiki, bem como outras práticas de terapias alternativas, podem ser benéficas para acalmar, confortar e até curar os animais

"Trabalhar, para mim, não significa mais apenas um meio para pagar contas, mas sim uma oportunidade de fazer a diferença. Recebo minhas lambidas de gratidão e amor puro e sincero a cada novo dia" (Alana de Andrade Reis. Foto: Nino Belini) "Um bichinho, quando submetido as terapias integrativas, terá melhor qualidade de vida. Seu corpo físico adoecerá com menor facilidade" (Alana de Andrade Reis. Foto: Nino Belini) "O amor por eles, para mim, é o mais importante, e facilita detectar com maior clareza a necessidade do paciente. Cada Pet reage da sua própria forma para receber a energia Reiki, mas todos eles adoram!" (Alana de Andrade Reis. Foto: Nino Belini)

Ouvir a Alana é sentir, instantaneamente, o que de fato é ter paixão pelos bichinhos. Entusiasta por seu trabalho de terapeuta dedicada a eles (com uma demanda cada vez maior na Serra Gaúcha, Brasil e até, em outros países) ela expressa, em cada palavra e gesto (e ainda mais no brilho do olhar quando fala das práticas terapêuticas que aplica), o amor com que executa o Reiki e outras terapias nos pets que lhes são confiados. Juntamente com tanto sentimento, Alana também destaca-se pelo lado racional e pela visão empreendedora, posicionando-se com muito equilíbrio.

“As terapias holísticas são complementares aos tratamentos veterinários, uma vez que trabalham a nível mental, emocional e espiritual, enquanto o veterinário trabalha focado em tratar o corpo físico. Quando aplicadas em conjunto (abordagem voltada ao corpo físico e abordagem voltada ao lado emocional e espiritual do pet) essas iniciativas podem acelerar o tratamento e diminuir efeitos colaterais no caso da quimioterapia, por exemplo. As terapias integrativas, como o Reiki, são reconhecidas pela OMS e estudos comprovam que elas diminuem células cancerígenas”, respalda. “Não se trata de uma prática religiosa e também não há contraindicações. Entretanto, é importante salientar que o Reiki não substitui, de maneira alguma, os tratamentos convencionais e o diagnóstico veterinário”, alerta.

O que ocorre, de acordo com Alana, é que os terapeutas, com suas mãos bem treinadas, podem detectar desequilíbrios energéticos ao percorrer cada um dos chacras do pet, como se fosse um scanner. “Em uma análise corporal bem minuciosa, essa aplicação se concentrará nos chacras que regem as áreas bloqueadas ou que padecem de alguma disfunção”, explica. Para ela, a melhor forma de cura é a prevenção. “Um animal saudável aproveitará o Reiki para manter a sua forma, melhorar o seu comportamento e prevenir problemas de saúde”, propõe.

Alana passou recentemente de trading em uma empresa com representatividade no Brasil, Uruguai e China (exercendo uma função típica da sua formação em Comércio Internacional pela FSG), para atuar no interior da casa das pessoas, cuidando daquilo que, na maioria das vezes, lhes é mais precioso, seus amores caninos e felinos! Ela conversou com a revista NOI para explicar por que decidiu mudar radicalmente de carreira, como funciona seu trabalho, e quais são as possibilidades das terapias alternativas para os animais. A seguir ela explica no que consistem as principais técnicas, e quais são os resultados que ela tem alcançado com os seus pacientes, ao longo desse último ano que marca, também, a sua própria, bonita e profunda transformação de vida.

NOI: O que é o Reiki ?

Alana de Andrade Reis: No início da humanidade, todos tínhamos os canais de circulação de energia intactos, gerando harmonia e felicidade genuína a partir de nossos instintos básicos de sobrevivência. Com o desenvolvimento, nos tornamos individualistas e enfraquecemos essa ligação com o Cosmos. Hoje recebemos apenas a quantidade energética suficiente para nossa sobrevivência. Por isso, a importância de buscarmos alternativas que nos remetam ao reequilíbrio inicial, como o Reiki. A técnica foi redescoberta por volta de 1909, mas até hoje não existe um consenso em relação à verdadeira história de Mikao Usui (1865-1926), seu redescobridor. O que se sabe de fato, é que ele queria encontrar uma forma mais simples de ativar a energia universal e seu poder de harmonização, para uso das pessoas comuns. Na medicina oriental, acredita-se que a doença é apenas a consequência de uma desarmonia dos corpos mais sutis. Ao fazer a energização, por meio da imposição de mãos, com ativação dos símbolos redescobertos pelo mestre USUI, com constante estudo e aperfeiçoamento das técnicas, há o realinhamento dos canais de energia, restabelecendo a saúde física e emocional.

Pode-se trocar o cuidado veterinário pelo Reiki?

Não é uma prática religiosa e não há contraindicações, mas não substitui de maneira alguma, os tratamentos convencionais e o diagnóstico veterinário. Inserido na filosofia “a melhor forma de cura é a prevenção”, um animal saudável aproveitará o Reiki para manter a sua forma, melhorar o seu comportamento e prevenir problemas de saúde. Uma sugestão é não deixar de exercitar o seu pet, pois atividades físicas são fundamentais para uma melhor qualidade de vida do animal.

Qual a diferença entre o Reiki feito para humanos e o feito para animais?

Os animais têm alguns chakras com funcionalidades diferentes dos humanos. Basicamente em humanos trabalhamos sete principais. Nos animais trabalhamos oito principais, seis de relaxamento imediatos e 21 menores. Basicamente não existe diferença na aplicação de Reiki para pessoas e animais. O mais importante, no meu ponto de vista, é que com os animais temos que ser mais observadores e, na maioria das vezes, deixarmos a intuição falar, uma vez que eles não conseguem nos “dizer” claramente o que é que lhes incomoda. Por isso o amor pelos animais, para mim, é o mais importante aqui, pois assim conseguimos detectar com maior clareza a necessidade do paciente. Cada Pet reage de uma forma para receber a energia Reiki, mas todos eles adoram.

Como funciona o Reiki para animais?

Os atendimentos são a domicílio ou à distância, pensando no bem estar do Pet, evitando retirá-lo do seu lar, onde ele se sente seguro. O intuito é não causar mais estresse a quem já está sofrendo. Para o atendimento marcamos uma entrevista online ou, se o tempo do cliente for restrito, envio a ficha de anamnese por whatsapp. Ele retorna com a ficha preenchida, para que eu possa entender a necessidade do pet. Com base nisso passo a sugestão de tratamento. Se o atendimento do Reiki for pessoalmente peço permissão a ele para lhe aplicar o Reiki, começo interagindo com o pet, pra me aproximar, já mentalmente trabalhando. Alguns ficam brincalhões, outros mais reservados acomodados à distância, uns vem no colo e outros adormecem. O tempo é norteado pelo Pet. Oferecemos uma sessão de 30min, mas pode levar apenas 10min, como pode levar 60min. Se a solicitação for para alguma questão específica, recomendamos cinco sessões em dias consecutivos, e, depois, prossegue-se conforme a resposta do pet. Mas o efeito é imediato, sendo percebido desde o primeiro atendimento. Em alguns casos recomendamos também que o tratamento se estenda aos tutores e ao ambiente em que o pet vive, já que eles absorvem essas energias, ficando mental e emocionalmente desequilibrados, o que pode ser a causa do problema.

Você pode aplicar o Reiki também em humanos?

Os níveis de Reiki nos quais me graduei permitem que eu o aplique em todos os seres, sem exceção, entre eles plantas, animais e pessoas. Também posso fazer aplicação de Reiki de forma presencial e a distância, trabalhando não só apenas o corpo físico, como também os corpos emocionais e mentais. Desta forma, atualmente consigo atender clientes dentro e fora do Brasil, sem sair de Caxias do Sul, com resultados igualmente fantásticos quanto os alcançados nas sessões presenciais.

Em que situações o Reiki é indicado para pet e tutor (concomitantemente)?

Na maioria das vezes, infelizmente, as doenças desenvolvidas pelos animais, advém do relacionamento com seu tutor. Os bichinhos, por terem conseguido manter sua essência pura de quando vieram ao mundo, nos cuidam e protegem não apenas de forma física, mas também energeticamente. Desta forma eles acabam sujando seu corpo mental e emocional, transmutando essa energia enquanto dormem. Quando o problema é muito grande, dada a quantidade de pessoas na família ou a falta de cuidado do tutor consigo, essas doenças aparecem no corpo físico. Através da anamnese, e até mesmo na fala do tutor, o terapeuta qualificado, consegue perceber a necessidade de estender o tratamento a membros da família ou até mesmo, do ambiente em que o Pet vive. Não temos como precisar quando isso será necessário, mas ocorre, geralmente, quando o Pet responde rapidamente ao tratamento e logo após o término tem recaídas. Isso pode ser um sinal de que o tratamento precisa ser aplicado a mais alguém. Casos em que o tutor percebe em seu Pet similaridades demais consigo, de forma negativa, também é outro indicativo. Geralmente nossos medos, inseguranças e ansiedades são rapidamente absorvidas pelos animais.

Com qual frequência o Reiki deve ser aplicado aos pets?

A energia de Reiki não tem restrição, e nunca é demais, então pode ser aplicada diariamente, se esse for desejo do tutor. O aconselhável é que, no mínimo a cada 21 dias, seja feita uma sessão, pois esse é o tempo em que o Reiki age no corpo, tanto do pet quanto no dos humanos. Na verdade a frequência dependerá mais da condição do animal, idade e dinâmica da família.

O que tutores de pets precisam ter em mente no que se relaciona às “energias” que o pet carrega dos problemas pessoais do dono ou do seu estilo de vida?

Os tutores precisam entender que, assim como uma criança, os animais podem ser condicionados pelos seus comportamentos. Se o tutor for uma pessoa intensa, dominadora e muito estressada, possivelmente seu pet desenvolverá medos e/ou traumas que posteriormente poderão se manifestar como atitudes atribuídas a mau comportamento. Também poderá ser ansioso, agressivo, comer compulsivamente ou até mesmo o oposto. No caso de um tutor inseguro a tudo ou ao simples fato de deixar o bichinho em casa, o seu animal poderá ter problemas de insegurança ao passear na rua, ir ao veterinário ou até mesmo em ficar sozinho em casa enquanto seu dono vai trabalhar. Outra questão é quanto ao fato das pessoas com as quais os tutores têm contato no trabalho, estilo de vida ou as visitas que recebem em casa. Os animais captam todas as energias densas, e no intuito de proteger seu tutor, por amor e instinto, eles as “pegam pra si”. Daí a importância dos tutores também cuidarem de sua saúde mental e emocional, pois quando um ou ambos adoecem fisicamente, é porque a situação energética desses corpos realmente passou todos os limites.

Com quais outras terapias holísticas (voltadas para pets) você trabalha?

Me preocupo com a saúde física, mental e emocional dos animais e de sua família, bem como com o ambiente em que vivem. Trato o Pet, sua família e seu lar, como se fosse o meu. Em uma família saudável a vida é mais feliz. Por isso estou em constante busca para trazer mais opções de tratamentos. Com serviços 100% certificados, atualmente ofereço as terapias integrativas de Reiki, Musicoterapia, Florais de Bach (manipulados exclusivamente caso a caso), Radiestesia e método Faster EFT para tratar medos e traumas.

Qual a vantagem de um pet que é tratado também com terapias holísticas em comparação a um que é submetido apenas ao tratamento veterinário convencional?

Os benefícios se assemelham a um ser humano que faz sessões com um terapeuta (psicólogo ou psiquiatra) continuamente e um que não faz, apenas visita o médico quando está com a doença já em estágio evoluído. Um bichinho, quando submetido às terapias integrativas, apenas para bem estar, terá melhor qualidade de vida, dormirá melhor, terá uma alimentação mais adequada, interagirá com outros animais/pessoas com menos tensão e, consequentemente, viverá mais, pois seu corpo físico adoecerá com menor facilidade. Ele também será submetido menos vezes a tratamentos invasivos que causam estresse. Os benefícios são inúmeros, e, assim como nos humanos, variam de pet para pet.

Como funcionam as sessões de reiki à distância?

O atendimento a distância difere do presencial apenas na questão de espaço físico. O mesmo processo de entrevista e análise da ficha de anamnese é realizado. Quando o atendimento é à distância, peço uma foto do Pet para melhor conexão com ele. Marcamos um horário e, mesmo estando longe, o Pet pode ter reações como no caso presencial. Os resultados são igualmente positivos como se a sessão fosse presencial. Após a sessão eu envio um resumo de como foi e, quando necessário, instruções adicionais para auxiliar no tratamento. As sessões à distância são de 30 minutos.

Como funciona o serviço de pet sitter?

Visito os animais em casa, na ausência de seus donos, com aplicação de Reiki incluso (sendo a primeira profissional em Caxias do Sul que oferece a terapia agregada ao horário de atenção ao pet), para aliviar o estresse da separação momentânea. Seja para uma viagem de férias, a trabalho, um compromisso de última hora ou apenas para fazer companhia ao seu Pet, quando ele precisará ficar desacompanhado por algumas horas, se ele tem alguma doença ou precisa ser medicado... ou em tantas outras situações. Outra vantagem é ter o animal no conforto do seu lar, sem o risco de estresse, ao invés de ter que se adaptar a ambientes estranhos e dividir espaço com outros bichos, evitando brigas e o risco de pegar doenças.

Por que você trocou uma carreira executiva por esse trabalho?

Desde criança eu sempre fui apaixonada pelos animais e sempre me senti confortável ao lado deles. Passei no vestibular para Medicina Veterinária em 2001, mas acabei optando pelo Comércio Internacional, por questões financeiras na época. Mesmo não estando na área médica, sempre fui curiosa quanto ao mundo das terapias holísticas e sempre estive em contato com trabalhos voluntários. Fazia esses trabalhos de forma gratuita para ONGs, e ainda faço. Após um acidente de carro em 2017, percebi que eu havia tido uma segunda chance e comecei a tirar do papel o meu sonho, passando a me dedicar exclusivamente a ele em 2018. Desde então, sinto que me encontrei. Trabalhar, para mim, não significa mais apenas um meio para pagar contas, mas sim uma oportunidade de fazer a diferença. Recebo minhas lambidas de gratidão, e amor puro e sincero a cada novo dia. Às vezes trabalho das 8h às 24h e acordo no dia seguinte às 8h novamente, e, mesmo assim, não me sinto cansada. Sempre tenho disposição e motivação, a cada novo dia. Eu simplesmente amo o que faço e é esse amor que me move!

O que é mais gratificante na sua atividade?

O olhar e as lambidas de gratidão dos meus pacientes. Dinheiro nenhum no mundo paga ver eles melhorando ou te olhando com ternura, pois sabem que você está ali para ajudar. Tem dias em que eu só posso atenuar a sua dor antes de partirem, mas, até nesses momentos, eu sinto o mais puro e verdadeiro amor. Desde que segui meu propósito junto aos animais, todos meus dias são de alegria, e isso não é apologia. Quando percebo a proporção que esse trabalho de amor tem tomado (pessoas no Brasil todo me contatando e, até do exterior), tenho certeza de que estou no exato lugar em que eu deveria estar. O simples fato de saber que o meu amor por eles está fazendo a diferença em muitas vidas, é o que me move todos os dias a persistir nesse caminho, buscando meu espaço profissional nesse segmento.

Quais são as suas perspectivas voltadas ao negócio?

Espero que cada vez mais, e dentro do menor tempo possível, os animais possam ter acesso a esse tipo de tratamento, por isso pratico valores com preços flexíveis. A médio prazo, espero que mais veterinários entendam que meu trabalho não é uma farsa, nem concorrência, e sim um tratamento complementar e um diferencial que eles podem oferecer aos seus clientes. Hoje estou trabalhando arduamente para firmar parcerias com veterinários. A longo prazo pretendo ter um equipe especializada e treinada, para que esse trabalho atenda a todas as regiões do Brasil. Gostaria de atender inclusive a animais de rua, em lares temporários e todo ou qualquer bichinho ao meu alcance, que tenha passado por algum trauma.

 

ENTREVISTA I CAROLINE PIEROSAN I FOTOS I NINO BELLINI

 

ALANA DE ANDRADE REIS passou no vestibular para Medicina Veterinária em 2001 mas acabou seguindo outra rota. Em 2008 graduou-se em Administração de empresas com Habilitação em Comércio Internacional pela Faculdade da Serra Gaúcha. Posteriormente cursou MBA em Gestão Comercial pela mesma instituição, atuando na área por quase 17 anos. Atualmente integra a Associação Brasileira de Terapeutas Holísticos, e é colunista convidada no Blog mineiro Trem de Pet, escrevendo semanalmente sobre os benefícios das terapias integrativas. Também passou recentemente a integrar o quadro de profissionais do plano de saúde para Pets Nestor Saúde Animal. Desde a adolescência se dedicou a trabalhos voluntários em Caxias do Sul e outros municípios, passando a desenvolver este trabalho em parceria com Veterinários, Petshops, Lares Temporários, ONGS e público geral. Com serviços certificados, e em constante atualização, tem entre suas especializações: Reiki, Florais de Bach, Musicoterapia, Radiestesia, Faster EFT e Serviços de Petsitter