Menu

Especial

Comunitária, Regional e Inspiradora

Fundação Universidade de Caxias do Sul democratiza o Ensino Superior na Região da Serra Gaúcha

"Com a Fundação da UCS, a pessoa menos abastada, o esforçado, passou a poder fazer um curso superior. Não era mais um privilégio da elite" (Foto: Josué Ferreira) "Com o desenvolvimento do TECNOUCS queremos fazer com que a inovação e o empreendedorismo cresçam e nos levem a um novo patamar de desenvolvimento" (Foto: Josué Ferreira) "Não queremos lucro, queremos equilíbrio. Um membro da Fundação apoia e suporta o outro. Nossa finalidade não é lucrativa. Somos instrumento da comunidade" (Foto: Josué Ferreira) "Queremos prestar serviços à Comunidade, oportunizando às pessoas que aqui nascem, a opção de se transformar em exemplo para outras Regiões, por meio do conhecimento"(Foto: Josué Ferreira) "Eu me sinto imensamente feliz em administrar uma Instituição tão grande e o faço com maior orgulho! Atuo há 30 anos na UCS. Estou tentando retribuir um pouco de tudo que eu recebi" (Foto: Josué Ferreira)

* Depois de ser professor, coordenador, diretor, chefe de departamento, diretor de centro, procurador geral e membro do Conselho Diretor da Universidade de Caxias do Sul, Ambrósio Luiz Bonalume, hoje, lidera a Fundação da Universidade de Caxias do Sul (FUCS). Ocupando um cargo que surgiu há menos de 10 anos, para coordenar uma Fundação que existe há 50, Bonalume, que também é advogado, fala sobre o marco deste meio século de história de uma iniciativa que transformou a Serra Gaúcha.

Integração de Propósitos para dar Acesso ao Conhecimento - Antes da criação da UCS tínhamos em Caxias do Sul cursos isolados (Economia, Ciências e Letras da Mitra Diocesana). Havia a Associação Cultural e Cintífica Nossa Senhora de Fátima (hoje Associação Cultural e Científica Virvi Ramos) que disponibilizava o curso de Direito e estava encaminhado o Curso de Medicina. Tínhamos o município de Caxias do Sul com a Escola de Belas Artes. Eram instituições de Ensino Superior, cada uma com seu mundo próprio. Se alguém quisesse fazer algum outro curso, precisava se deslocar, pelo menos, até Porto Alegre, o que restringia muito a possibilidade de estudo das pessoas daqui da Região, por ser um polo metalmecânico, um polo de trabalho. Só os abastados podiam ir à capital ou a qualquer outro centro estudar. Com a fundação da UCS, qualquer morador daqui passou a ter essa possibilidade. Caxias do Sul hoje, e Região, são reconhecidos como a maior área de desenvolvimento econômico e cultural do Rio Grande do Sul. Nos destacamos nas áreas do conhecimento principalmente pela indústria, comércio e influência cultural. Somos um referencial no RS, no país e fora daqui. A UCS, hoje, é tão conhecida no mundo quanto o próprio município de Caxias do Sul.

Gigante para Administrar - A Fundação, hoje, como mantenedora da Universidade, do Hospital Geral, do Centro de Teledifusão Educativa CETEL e do Centro Tecnológico CETEC, tem um patrimônio econômico enorme. Um orçamento que chega aos 500 milhões de reais/ano. Temos 3.500 funcionários ligados diretamente à nossa Fundação e aproximadamente 500 indiretos. Temos um custo e um orçamento elevado para a manutenção destas quatro mil pessoas. Temos aqui 74 prédios onde funcionam os mais de 84 cursos que oferecemos em toda a instituição. Acrescendo a isso os outros Campus, temos mais de 90 prédios mantidos. Com todos os cursos que disponibilizamos, geramos um diferencial enorme na comunidade.

Desafios - O maior desafio da Fundação é cumprir com a missão que lhe foi dada, pelos seus instituidores, na figura de Dom Benedito Zorzi, Hermes João Webber e Virvi Ramos: prestar serviços à Comunidade, oportunizando às pessoas que aqui nascem, a opção de se transformar em exemplo para outras Regiões, por meio do conhecimento. O desafio momentâneo é enfrentar a dificuldade econômica que atravessa o próprio país. Perdemos alunos, mas qual das Instituições de Ensino Superior não perdeu? O setor econômico influencia muito na captação de disciplinas e alunos. Mas queremos muito que os alunos permaneçam por meio das facilidades que oferecemos, por exemplo: seis mil alunos estudam gratuitamente, sendo bolsistas do PROUNI. Temos bolsas UCS também. Temos o FIES do Governo Federal no qual investimos 15% a 20% do orçamento da UCS. Temos financiamento próprio da nossa instituição – o aluno pode pagar 50% enquanto estuda e 50% no pós formatura. Oferecemos todas as facilidades para que as pessoas possam enfrentar as dificuldades financeiras.

Metas - Queremos manter o nível elevado e excelência como uma meta. Temos em implantação hoje o TECNOUCS – interação entre o mundo universitário, o poder público e o mundo empresarial. Queremos fazer com que a inovação e o empreendedorismo cresçam e transformem essa realidade num novo patamar de desenvolvimento.

Vanguarda - Hoje um dos únicos cursos de mestrado em Direito Ambiental do Brasil é o nosso, mantido pelo curso de Direito da UCS. Este nosso Mestrado faz com que tenhamos convênios com instituições do Estado, da Região e no âmbito Internacional também. Somos referência nesta área.

Presidência da FUCS - Até 2002, por ai, a Fundação e a UCS se confundiam porque o presidente da Fundação era o Reitor. Depois o Conselho Diretor se separou. O reitor cuida da área acadêmica, um diretor cuida do Hospital Geral da Saúde, um diretor do CETEL da Comunicação e um diretor do CETEC do Ensino Médio. O presidente da Fundação cuida de tudo. A Fundação nasceu pequena, em 1967, a partir do ideal do então Bispo Dom Benedito Zorzi, do prefeito Hermes João Webber e do Doutor Virvi Ramos. O município, a Mitra e a Associação Cultural e científica Nossa Senhora de Fátima, hoje associação Cultural e Científica Virvi Ramos, eram proprietários de Fundações de Ensino Superior e uniram-se para fundar uma Associação. Surgiu então a Associação Universidade de Caxias do Sul que foi reconhecida por um decreto do Governo Federal como Universidade. Em 1973, a partir de um pedido do Governo, ela foi transformada em Fundação Universidade de Caxias do Sul. A Fundação é um Conjunto de Bens que passa a ter personalidade própria. A primeira mantida da Fundação foi a UCS. Então foi criado e instituído, por um convênio com o Governo do Estado, o Hospital Geral de Caxias do Sul, que é um Hospital Escola, e também o CETEC e o CETEL.

Orgulho Eu me sinto imensamente feliz em administrar uma Instituição tão grande e o faço com maior orgulho! Atuo há 30 anos na UCS. Estou tentando retribuir um pouco de tudo que eu recebi. Coordeno reuniões semanais com o Kuiava o diretor do CETEC, o diretor do CETEL e o diretor do HG. O CETEL é uma TV educativa. Não dá lucro, por exemplo, mas essa não é sua finalidade, por isso estamos inclusive ampliando os estúdios de rádio e TV. Assim como o Hospital Geral, que serve como laboratório para toda a área da saúde. Temos 500 a 600 alunos mês que frequentam o Hospital Geral. Tudo gira em torno de cumprir uma finalidade acadêmica, educativa, etc. Não queremos lucro, queremos equilíbrio. E isso não significa que no fim do mês as contas fechem. Um membro da Fundação apoia e suporta o outro. Nossa finalidade não é lucrativa. Somos instrumento da comunidade. 

* Ambrósio Luiz Bonalume concedeu essa entrevista para a jornalista Caroline Pierosan, para a edição dezembro 2016 impressa da revista NOI. Ele faleceu no dia 16.01.19. As fotos são de Josué Ferreira