Menu

Especial

CIC-BG Promove a Volta da Fenavinho

O Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves, promotor da ExpoBento, maior feira multissetorial do país, assume, também, a retomada da Festa Nacional do Vinho

"Faço questão de agradecer a todos os credores que foram chamados para as negociações e, sensibilizados pelo projeto de resgate desta querida festa, foram flexíveis e sensatos, em acordos razoáveis e justos. Sem essa demonstração de boa vontade não teríamos conseguido chegar a valores viáveis para a solução definitiva do impasse financeiro" (Elton Paulo Gialdi). Foto: Augusto Tomasi, Vagão Filmes "A Fenavinho terá a garantia de um calendário bianual a partir de 2020, sem sofrer longos períodos sem festa, de forma sustentável e viável" (Elton Paulo Gialdi). Foto: Augusto Tomasi, Vagão Filmes "É uma honra ter a Fenavinho, um de nossos grandes patrimônios, fazendo um dueto com outro grande atrativo de Bento. Quem ganha com isso é a cidade e quem a visita, porque potencializamos ambos os eventos" (Rogério Capoani). Foto: Marines Kowalski, Revelare As Programações da Festa ocorrem de forma integrada de 13 a 23 de junho, no Parque de Eventos da Fenavinho, em Bento Gonçalves. Foto: Augusto Tomasi, Vagão Filmes

Em 2019 Bento Gonçalves reviverá, entre 13 e 23 de junho, os áureos tempos de sua maior celebração popular. A Festa Nacional do Vinho (Fenavinho) reaparece nesse ano depois de uma pausa de oito anos no calendário de eventos do município. “Isso foi possível porque fizemos do envolvimento comunitário o antídoto para aparar arestas, superar diferenças e negociar passivos financeiros”, celebra Elton Paulo Gialdi, presidente do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG). De acordo com ele o trabalho em prol da festa reuniu diversos atores sociais ao amealhar a influência de setores da sociedade civil e do poder público. “O CIC-BG é uma das instituições que trazem em sua gênese o mesmo envolvimento comunitário que fez da Fenavinho um ícone cultural e econômico de Bento. Há um consenso que, não fosse pelo protagonismo do Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), a cidade ficaria órfã da festa por mais um tempo”, destaca Gialdi.

O assunto era acalentado pelo CIC-BG há anos. A ideia era de que a cidade voltasse a celebrar a Fenavinho em 2017, ano que marcou o cinquentenário de sua primeira edição. Porém a dificuldade em reunir os vários entes envolvidos impediu que o simbolismo da data fosse aproveitado no aniversário de 50 anos. “Entretanto esse fato não nos tirou o ímpeto de seguir adiante com o projeto”, assegura o presidente do CIC-BG.

O processo foi longo até que as condições necessárias se apresentassem a fim de que a retomada fosse, de fato, consolidada. Foram realizadas cerca de 50 reuniões envolvendo CIC, prefeitura, instituidores da festa e entidades do segmento vitivinícola. “Contamos mais de 80 horas de negociações. Todos se envolveram, promotores e credores, e isso foi determinante para a volta da Fenavinho”, relembra Gialdi.

Um dos principais entraves que inviabilizou a continuidade da Fenavinho – realizada pela última vez em 2011 – foi o passivo financeiro acumulado: em valores corrigidos, mais de R$ 3,5 milhões. Boa parte das tratativas do CIC-BG consistiu em negociar os processos ajuizados e, também, articular com os credores morais (aqueles que mesmo tendo valores a receber da Fenavinho, não recorreram à Justiça). “Conseguimos chegar em um montante viável para o pagamento e resgate de forma honrosa e respeitável. Faço questão de agradecer a todos os credores que foram chamados para as negociações e, sensibilizados pelo projeto de resgate desta querida festa, foram flexíveis e sensatos, em acordos razoáveis e justos. Sem essa demonstração de boa vontade não teríamos conseguido chegar a valores viáveis para a solução definitiva do impasse financeiro”, conta Gialdi.

Fenavinho e ExpoBento

A realização conjunta da Fenavinho com a ExpoBento foi uma das saídas encontradas pelos envolvidos na retomada da festa. Esse mesmo expediente já havia sido utilizado em 2000 – e mostrou-se o mais viável para este momento de reafirmação da Fenavinho. “Quisemos promover a Fenavinho juntamente com a ExpoBento pela solidez da feira multissetorial, que é realizada anualmente há quase 30 anos. Associar uma à outra faz parte de nossa estratégia para fortificar a Fenavinho nesta fase de retorno”, explica Gialdi.

Dessa forma, a ideia é repetir a fórmula também para 2020, sedimentando o resgate da festa para que ela brilhe sozinha a partir de 2022. “Ainda estamos no campo das ideias, e a própria realização desta edição da Fenavinho deve apontar alguns caminhos a seguir”, prevê o presidente do CIC-BG. Mas uma certeza já existe: a garantia da realização da festa a cada dois anos. “Esse é um dos legados que o CIC-BG dará à festa. Sob o zelo de nossa entidade, a Fenavinho terá a garantia de um calendário bianual a partir de 2020, sem sofrer longos períodos sem festa, de forma sustentável e viável”, afirma Gialdi.

Para o diretor da ExpoBento, Rogério Capoani, a marca Fenavinho agrega ainda mais valor à feira, trazendo como potencial a diversificação do público do evento dirigido por ele. “É uma honra ter a Fenavinho, um de nossos grandes patrimônios, fazendo um dueto com outro grande atrativo de Bento. Quem ganha com isso é a cidade e quem a visita, porque potencializamos ambos os eventos”, acredita. 

Um time especial foi montado para dar atenção à demanda produzida por um evento do porte da Fenavinho, responsável por promover a força econômica da cidade – não só vitivinícola – a todo o Brasil - a partir de 1967, ano de sua primeira edição. Comandado por Diego Bertolini, o comitê está anunciando, aos poucos, as atrações que farão parte da 16ª edição da festa.

Atrações Clássicas

Pelas atrações que já foram divulgadas, fica nítido o intuito de preservar a tradição. O vinho encanado, um dos atrativos responsáveis pela fama da festa, será mantido. Para isso, a previsão é utilizar a Via del Vino, cenário que recebeu o atrativo em outras edições, nos dois finais de semana que antecedem a festa.

Outro sucesso da história da Fenavinho, a Vila Típica, estará de volta. De acordo com Bertolini, ali será um espaço de valorização dos encontros comunitários do interior. “Vamos revitalizar as expressões da cultura regional, transmitindo esse conceito por meio de vários campos do patrimônio cultural: arquitetura colonial, artesanato, hábitos e costumes, vinho colonial, gastronomia, teatro, música entre outros – sempre com janelas interativas para a participação do público”, explica Bertolini.

A fartura gastronômica é outro destaque da Fenavinho 2019. O visitante poderá apreciar pratos típicos dessa culinária e reviver experiências como o Filó Italiano. Haverá, também, espaços reservados para a alta gastronomia, inclusive com a realização de cursos ministrados por chefs, e aulas de harmonização, unindo culinária e vinho.

Estrela da festa, o vinho estará onipresente nos pavilhões do Parque de Eventos. Dezenas de vinícolas apresentarão e comercializarão seus produtos, compartilhando com o público a evolução do setor local – hoje referência em termos de tecnologia e qualidade, como bem comprovam as honrarias e titulações recebidas pelos rótulos brasileiros em concursos e premiações ao redor do mundo.

Quem quiser conhecer mais sobre a história da bebida de Baco poderá visitar os memoriais temáticos, ricos em informações. Depois dessa contextualização, um Túnel do Tempo contará a trajetória de mais de 50 anos da Fenavinho – espaço museológico com exposição que mostrará fatos, fotos, objetos, indumentária das Imperatrizes – como também evidenciará os atores sociais que construíram essa história.

 

As Programações da Festa ocorrem de forma integrada de 13 a 23 de junho, no Parque de Eventos da Fenavinho, em Bento Gonçalves