Menu

Design

22/11/2018

Mobstone FIMMA Brasil 2019

Indústrias, Designers e Marmoristas únem-se para realizar o projeto inovador da feira que acontece de 26 a 29 de março do próximo ano

 "As particularidades que o material tem nos fez pensar para além do "lugar comum" e nos forneceu perspectivas diferentes" (Juliana Descosi). Foto: Silvia Tonon  "A maior expectativa está em promover um produto validado em relação à sua viabilidade técnica/tecnológica e com possível sucesso comercial" (Gemile Nondillo) "A rocha é uma das matérias-primas mais aplicáveis em móveis em âmbito global" (Marta Manente). Foto: Zéto Telöken O desenvolvimento de produtos com a utilização da rocha ornamental no mobiliário é o desafio do projeto Mobstone FIMMA Mobiliário em Pedra para a edição 2019 da Feira O desenvolvimento de produtos com a utilização da rocha ornamental como matéria-prima principal ou secundária do mobiliário é o desafio do projeto Mobstone FIMMA Mobiliário em Pedra para a edição 2019

O desenvolvimento de produtos com a utilização da rocha ornamental como matéria-prima principal ou secundária do mobiliário é o desafio do projeto Mobstone FIMMA Mobiliário em Pedra para a edição 2019 da Feira Internacional de Máquinas, Matérias-Primas e Acessórios para a Indústria Moveleira (FIMMA Brasil). Amma Design, Aziforma, Tremarin e Uultis – Grupo Herval, indústrias moveleiras associadas à Movergs, aceitaram o desafio e juntamente com designers que integram o Projeto Raiz do Sindmóveis e marmoristas expositores da feira (todos já selecionados), terão a oportunidade de demonstrar a potencialidade, a versatilidade e a beleza das rochas por meio de produtos. O presidente da FIMMA Brasil 2019, Henrique Tecchio, confirma que o projeto atinge seu objetivo de promover maior integração entre o móvel brasileiro, o design e a rocha. “A primeira edição do Mobstone comprova que o novo segmento será de grande relevância”, aponta. As equipes já estão trabalhando no desenvolvimento do protótipo e os resultados dessa iniciativa inédita estarão expostos durante a quinta maior feira do mundo para o segmento, que ocorre de 26 a 29 de março, em Bento Gonçalves (RS).

Douglas Giordani, diretor da Aziforma, destaca que aceitou o desafio por se tratar de um projeto inovador, que torna visível a importância da rocha no mobiliário. “A cada etapa concluída ampliamos o nosso conhecimento e nosso encantamento pelas rochas. A expectativa é apresentar projetos que evidenciem o uso do material, ampliando as possibilidades de suas variações no mobiliário”, destaca. A designer Marta Manente integra o Projeto Raiz desde 2015 e afirma que a rocha é uma das matérias-primas mais aplicáveis em móveis em âmbito global, porém, no Brasil, essas possibilidades ainda são pouco exploradas. “No processo criativo estamos valorizando as pedras brasileiras. Nosso país é a maior fonte de granitos exóticos do mundo. Na parte técnica, estamos conhecendo a aplicabilidade das pedras em perfis para portas de alumínio, com a parceria com a Amma Design”, enfatiza.

Roberta Ferrari Bergamo, da Amma Design, afirma que a pedra pode ser agregada aos produtos da marca ou, até, ser substituto de algumas matérias-primas utilizadas hoje na indústria moveleira. “A participação no projeto Mobstone está sendo desafiadora pelo fato de a empresa ter que sair da sua zona de conforto e buscar soluções para desenvolver novos produtos”, completa. Gemile Nondillo, da Bria Design, enfatiza que o projeto Mobstone permitiu visualizar o uso das pedras além dos elementos planos e lineares e criar formas e volumes que podem ser compostos como elementos-chave em novos produtos, resgatando todo o potencial e riqueza das pedras. “Estamos explorando o máximo potencial desse material atemporal e de múltiplos usos. A maior expectativa está em promover um produto validado em relação à sua viabilidade técnica/tecnológica e com possível sucesso comercial”, ressalta.

Rafael Vier, da Uultis – Grupo Herval, enfatiza que a adesão ao projeto acontece em função de o grupo acreditar nesse complemento juntamente ao mobiliário embora ainda não conte com a rocha aplicada em produtos da marca. “Estamos muito entusiasmados com todo apelo e possibilidades que temos em pedras naturais nativas brasileiras a serem exploradas, podendo gerar inovação ao mercado. Está sendo uma experiência fantástica, assim como a oportunidade de conhecer a Pro Marmo e a possibilidade de trabalharmos em conjunto com um dos maiores designers da cena brasileira, o Paulo Alves”, observa. Para a designer Juliana Desconsi, que tem parceria com a Tremarin, a temática reascendeu a vontade de aprendizado. “O desafio de construção de conhecimento e de fazer a diferença criativa na cultura material é muito instigante. Essa interação entre os participantes nos colocou em um outro formato de trabalho para o projeto, abrindo novas possibilidades e enriquecendo o resultado. A experiência no uso das pedras na rotina industrial de um móvel é bastante enriquecedora. As particularidades que o material tem nos fez pensar para além do ‘lugar comum’ e nos forneceu perspectivas diferentes”, comemora.

Rodrigo Tonello Rizzardo, da Pro Marmo, diz que aceitou o desfio com o objetivo de ampliar o leque de fornecimento para as indústrias da cadeia moveleira com a inserção das rochas ornamentais na feira. “Dialogar com indústria, designers e marmoraria está sendo de uma valia inestimável, assim como acompanhar o desenvolvimento de um produto que vai contar com a rocha ornamental como um de seus componentes, visto que móveis e pedras há muito tempo andam juntos, mas sempre por caminhos terceirizados”, comenta. A iniciativa é da FIMMA Brasil 2019 e da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), com o apoio do Sindmóveis/Projeto Raiz, do Instituto Senai de Tecnologia em Madeira e Mobiliário, e da Revista Rochas, além do patrocínio da Pro Marmo.