Menu

BIO

Alterações Oftalmológicas do Diabetes

Todos os dias no Brasil são diagnosticados 500 novos casos de diabetes  

"O tratamento adequado e o acompanhamento regular da doença ocular causada pelo diabetes podem evitar a perda de visão e a cegueira" "O primeiro passo a ser dado deve ser a busca de um especialista para orientação. São medidas importantes: controlar o açúcar do sangue, realizar atividade física regularmente, alimentar-se de forma saudável e utilizar corretamente os medicamentos prescritos pelo médico especialista" (Dra. Mariana R. Thorell, Oftalmologista)

O diabetes é uma doença caracterizada pela elevação da glicose (açúcar) no sangue e que pode gerar uma série de complicações à saúde, incluindo problemas renais, má circulação e danos à visão. Nos olhos, o diabetes pode causar glaucoma, catarata, e retinopatia diabética. Diabetes mellitus é uma doença que ocorre em qualquer idade, inclusive na infância e na adolescência, e, a cada ano, tem aumentado o número de casos. Todos os dias no Brasil são diagnosticados 500 novos casos de diabetes.

A retinopatia diabética é a doença ocular mais comum em pacientes diabéticos. Ela é uma doença que ocorre na região do fundo de olho, a retina, e causa lesão nos pequenos vasos sanguíneos que nutrem esta estrutura. O diagnóstico inicial da doença pode ser realizado em uma consulta de rotina com o oftalmologista. Se o diagnóstico não for feito precocemente ou o controle for inadequado, a doença progride e pode causar cegueira irreversível. Exames complementares como a retinografia, angiografia e tomografia de coerência ótica (OCT) podem ser necessários para um estudo mais detalhado, auxiliando tanto no diagnóstico quanto no tratamento. O paciente diabético ou que tenha história familiar de diabetes deve realizar exames regulares dos olhos, no mínimo uma vez por ano, objetivando a preservação da visão. Revisões mais frequentes podem ser necessárias dependendo do estágio da doença. Em mulheres grávidas com diabetes recomenda-se a realização do exame oftalmológico no primeiro trimestre da gravidez, pois a retinopatia pode progredir rapidamente durante a gestação.

A retinopatia diabética pode apresentar-se de duas formas: não proliferativa ou proliferativa. A retinopatia não proliferativa é o estágio inicial, uma forma mais leve da complicação ocular. Quando não diagnosticada ou não tratada, pode evoluir para a forma proliferativa, situação mais grave que pode ter consequências desastrosas para a visão levando até a cegueira se não tratada adequadamente. O edema macular diabético é uma complicação da doença que pode estar associada e caracteriza-se pelo acúmulo de líquido e proteínas na região da mácula que é a área mais nobre da retina, responsável pela visão central e pela visão de cores. Inicialmente o edema macular diabético é silencioso, podendo progredir com alterações mais significativas como visão borrada, imagens distorcidas, alterações na visualização de cores e manchas ou pontos flutuantes, baixando significativamente a visão.

Diversos tratamentos estão disponíveis para as alterações oftalmológicas causadas pelo diabetes. No caso da retinopatia diabética, por muitos anos o laser era o único tratamento disponível. Avanços científicos e tecnológicos propiciaram o surgimento de medicamentos injetáveis intraoculares, como os anti-angiogênicos e implantes de corticosteróides que têm demonstrado excelentes resultados, barrando a progressão da doença retiniana e até mesmo recuperando a visão em alguns casos. A cirurgia de vitrectomia é indicada em casos específicos como hemorragias vítreas e descolamentos tracionais de retina, podendo ou não ser associada à cirurgia de catarata e trazendo mais qualidade de vida ao paciente. Em alguns casos a associação de tratamentos pode ser necessária. A prevenção é o melhor tratamento, mas uma avaliação completa pelo oftalmologista poderá definir as alterações encontradas e o procedimento ideal para cada caso.

Além da prevenção, os hábitos saudáveis também são essenciais no tratamento da doença. O primeiro passo a ser dado deve ser a busca de um especialista para orientação. São medidas importantes: controlar o açúcar do sangue, realizar atividade física regularmente, alimentar-se de forma saudável e utilizar corretamente os medicamentos prescritos pelo médico especialista. Se a doença for tratada no início, os resultados são melhores. No caso dos olhos, a detecção precoce, o tratamento adequado e o acompanhamento regular da doença ocular causada pelo diabetes podem evitar a perda de visão e a cegueira.