Menu

Ambiente

Cidades Diversas

Civilidade, engajamento, tolerância, segurança e felicidade tendem a ser mais notáveis onde as comunidades desenvolvem uma boa relação com o ambiente

Já que vamos viver mais, também podemos viver melhor! Equilíbrio físico, mental e social são importantes para que possamos Barreiras como muros, grades e fachadas sem permeabilidade para a rua dificultam o relacionamento com o ?lado de fora? Os avanços na medicina e a consciência de que é preciso incorporar ao nosso dia a dia hábitos mais saudáveis e sustentáveis têm tornado nossa expectativa de vida mais alta

É conhecido e será contínuo o fluxo de pessoas que trocam as áreas rurais por regiões urbanas, sejam pequenas cidades, metrópoles ou regiões periféricas aos grandes centros. Este movimento é motivado, basicamente, pela busca por melhores oportunidades e – por que não? – mais qualidade de vida. Entretanto é importante avaliar alguns feitos do modernismo, que provocou, como efeito colateral, o isolamento dos moradores que passaram a viver sozinhos em condomínios que dificultam o convívio social. Barreiras como muros, grades e fachadas sem permeabilidade para a rua dificultam o relacionamento com o ‘lado de fora’. Os avanços na medicina e a consciência de que é preciso incorporar ao nosso dia a dia hábitos mais saudáveis e sustentáveis têm tornado nossa expectativa de vida mais alta. Já que vamos viver mais, também podemos viver melhor! Equilíbrio físico, mental e social são importantes para que possamos ‘chegar bem’ no avanço da idade. Nossas conexões sociais são determinantes para a qualidade de vida. Para tanto, é importante a criação e manutenção de uma cadeia de suporte e cooperação em nossa família, no trabalho e, também, nos espaços públicos, por meio da interação com pessoas novas ao nosso convívio. O ambiente público é cenário para nossas conexões sociais, promovendo a interatividade, oportunizado o contato com à diversidade e aprimorando nosso senso de pertencimento ao meio que habitamos. Civilidade, engajamento, tolerância, segurança e felicidade tendem a ser mais notáveis onde as comunidades desenvolvem uma boa relação com o ambiente. Manter-se em contato com a rua, praticar esportes ao livre, fazer a ‘descompressão’ numa praça ou parque perto de casa, observar a diversidade dos habitantes da cidade, acompanhar o movimento dos transeuntes e ser agente participativo desse organismo complexo! A importância destas atividades deve ser levada em consideração quando desenhamos nossas cidades. Ideais de urbanização bem planejados devem ser inseridos na malha urbana, próximos de todas as comodidades da cidade, e com vias de deslocamento fácil. Tudo o que qualquer família precisa (desde as necessidades do dia a dia até as opções de lazer, diversão e centros maiores de compra) deve estar próximo, ou mesmo inserido num bom projeto urbano. Em um projeto de urbanização bem pensado há espaço para todos, sejam moradores do local ou não. Novos projetos devem ajudar as pessoas na incorporação de um estilo de vida mais saudável. Precisamos promover amplamente o bem-estar em nosso cotidiano, e isso envolve o local onde vivemos, com o que nos importamos, se estamos felizes em nosso trabalho, com a família, como aproveitamos nosso tempo livre. Manter uma boa relação social e comunitária é desejável. Nosso foco é o urbanismo e nosso ofício de ‘criar cidades’ tem tudo a ver com bem-estar. Já que estaremos cada dia mais ‘urbanizados’, precisamos nos concentrar em criar cidades cada vez mais diversas, permeáveis, com usos múltiplos para que haja circulação de pessoas e trocas constantes. A prosperidade dos espaços é o efeito magnético que diferentes usos são capazes de proporcionar, tornando as cidades, portanto, uma proposta de valor sem concorrência.

Auber Césaro Santini de Oliveira, Diretor Comercial Olimóveis Urbanismo