Menu

Roberto Rabachino

A Barrica

O termo barrica define um barril de capacidade relativamente baixa usada para fermentar e afinar certos vinhos e para envelhecer algum tipo de destilado  

"A tosta provoca transformações físico - químicas na madeira que influirão decisivamente sobre as qualidades organolépticas do vinho ou do destilado que ali passará um bom tempo"

Existem barricas de vários tipos e dimensões. As mais utilizadas são as barricas bordalesas, com capacidade de 225 litros e as barricas da Borgonha as quais ostentam uma capacidade de 228 litros. São produzidas com aduelas de carvalho maturado e tostado. Naturalmente a tipologia de carvalho varia de acordo com a procedência e com a porosidade: quanto mais compacta a madeira de origem mais valorizada será, além de se prestar para longos afinamentos

A madeira que irá constituir a barrica é cortada em aduelas, com a técnica do corte natural, usando uma cunha de aço que vai cortando a tora de madeira em sentido longitudinal, seguindo as veias naturais da própria arvore, não se usa serra nesta operação para não cortar o interior macio da fibra. A seguir as aduelas ficarão expostas às intempéries para maturar adequadamente. O período de maturação poderá se estender de 3 a 5 anos. As chuvas que atingirem as aduelas em maturação, contribuirão para “lavar” os taninos duros da madeira, enquanto os raios solares influem sobre as características organolépticas da futura barrica. Ao fim da maturação as aduelas são assembladas e presas por aros de aço, conferindo ao conjunto a típica forma oval e tronca que todo mundo conhece. Utilizando um metro cúbico do carvalho mais precioso, é possível produzir no máximo 5 ou 6 barricas. Com outros tipos de carvalho menos compacto se consegue uma produção de 9 ou 10 barricas, contando com a arte primorosa do mestre tanoeiro.

Durante a fase de montagem da barrica acontece a tosta das aduelas em seu interior por meio de chama viva. A tosta provoca transformações físico – químicas na madeira que influirão decisivamente sobre as qualidades organolépticas do vinho ou do destilado que ali passará um bom tempo. Existem fundamentalmente três tipos de tosta da madeira e se dividem em tosta leve, média e intensa. Cada tipologia de tosta vai influir diretamente tanto no gosto como no perfume que o líquido vai adquirir ao fim do processo de afinamento / envelhecimento. Todas essas características devem estar bem claras para os responsáveis pela produção, a fim de evitar surpresas. A vida útil de uma barrica é de cerca de três passagem de vinho jovem em seu interior. Ao fim desse ciclo ela perde a capacidade de envelhecer bem o vinho.

Versão em Italiano

Ne esistono di vario tipo e dimensione. Le più impiegate sono la barrique bordolese della capacità di 225 l e la barrique borgognona che, invece, ha una capacità di 228 lt. Sono realizzate con doghe di rovere stagionato e tostato. Naturalmente i legni di rovere variano a seconda della provenienza e della loro porosità: più sono compatti e pregiati più saranno adatti ad un importante affinamento.

Il legno che andrà a costituire la botte è spaccato in doghe - e non tagliato, per evitare le parti morbide della fibra - che saranno lasciate stagionare alle intemperie del clima, per un periodo di tempo che varia dai 2 ai 5 anni. Le piogge che si abbattono sulle liste in stagionatura contribuiscono a slavare i tannini indesiderati dal legno, mentre le radiazioni solari influiscono sulle caratteristiche organolettiche dello stesso. A questo punto, le doghe sono assemblate e trattenute da cerchi metallici, conferendo all'insieme la tipica forma ovalizzata e tronca che tutti conosciamo. Utilizzando un metro cubo del rovere più prezioso, è possibile realizzare al massimo 5 o 6 barrique. Con altri tipi di rovere meno compatti si può toccare il numero di 9 o 10 botti, se il mastro bottaio è attentissimo a non sprecare nulla.

Durante la fase del montaggio della barrique verrà eseguita la tostatura delle doghe dall'interno, per mezzo di fiamma viva. La tostatura provoca delle trasformazioni chimico-fisiche del legno che influiranno decisivamente sulle qualità organolettiche del vino o del distillato che riposerà in barrique. Esistono fondamentalmente tre tipi di tostatura del legno e sono suddivisi in leggera, media, intensa. Ogni tipologia di tostatura conferirà differenti qualità sia al gusto che al profumo: tutte queste caratteristiche devono essere estremamente chiare a chi sorveglia il processo di invecchiamento. Una barrique nuova esaurisce la sua capacità di invecchiamento dopo tre passaggi di vino giovane al suo interno.