Menu

Mauro Cigolani

O Pacote do Veneno

“Um sistema mais justo, com respeito à natureza e ao homem depende do governos, dos agricultores e dos consumidores que podem dar fim a estas prática agrícolas antiéticas e imorais”


PL6299/02 @slowfood.brasil #mesasemveneno  #chegadeagrotóxicos  #naoao PLdogoverno Salada de folhas verdes, manga, papaia, palmito e camarão com azeite de oliva extravirgem

Cada vez mais pessoas se engajam na luta contra os pesticidas, em favor da saúde dos seres humanos, e em prol de um ambiente são e com produtos e alimentos de qualidade. A ONU declarou que os pesticidas são responsáveis pela morte de 200.000 pessoas por intoxicação aguda, a cada ano, e que destes, 90% dos casos ocorrem em países em desenvolvimento. Existe a vontade do governo de aprovar um projeto de lei (PL) 6299/2002, intitulado como “O Pacote do Veneno” que consentirá a venda de alguns produtos químicos sem prescrição e guia técnica de um profissional legalmente qualificado, o que hoje é obrigatório em todo o território nacional, para o uso de agrotóxicos e correlacionados. Neste caso, os pesticidas serão chamados de “proteção fitosanitária” na tentativa de mascarar e cobrir a periculosidade amplamente clara destas substâncias, favorecendo ainda mais o uso indiscriminado. É tão absurdo que parece mentira! O Brasil é considerado um dos países com o maior consumo de pesticidas no mundo. Um dado do IBOPE mostra que 81% dos brasileiros considera “alta” ou “muito alta” a quantidade de pesticidas aplicada nos cultivos. Por esse motivo, formou-se o movimento pela aprovação da “Política Nacional para a Redução dos Produtos Químicos Agrários (PNARA) e outras medidas” (PL667016).

O projeto que se encontra no Congresso Nacional foi apresentado pelo Deputado Rodrigo Martins por meio da requisição (REQ 7157/2017) para a criação de uma comissão especial que analisa o processo. É muito importante ressaltar que os produtos químicos usados de maneira indiscriminada podem causar sérios problemas de saúde a longo prazo e doenças crônicas como o câncer, sobretudo para os produtores rurais, pequenos ou grandes. Os cursos dágua e o solo são contaminados, causando a “spirale chimica”, ou seja, se os pesticidas são usados, no futuro será preciso sempre mais, pois eles diminuem as defesas imunológicas dos cultivos e mantêm a agricultura dependente das multinacionais que dominam o mercado; apenas em 2015, as empresas ganharam R$ 32 milhões pela venda de produtos agroquímicos, enquanto o Brasil investiu apenas R$ 3,8 milhões na alimentação escolar ao mesmo tempo em que difunde a ideia de que os pesticidas são vitais para a segurança da alimentação humana.

Os danos que os pesticidas podem causar não ocorrem apenas durante o cultivo, transporte e aplicação, mas, os riscos estão também nos resíduos que ficam no alimento, no solo, na água e no ar. Tudo isso afeta adultos e crianças, no mundo inteiro. Cada vez mais pessoas acreditam que os produtos orgânicos são o caminho para uma alimentação socialmente justa e a solução para as doenças, podendo ser usados como prevenção e substituição à medicina convencional. De acordo com a FAO, hoje 11% das pessoas são desnutridas e 8% são obesas; 1,2 bilhões de pessoas no mundo não nutrem-se corretamente. O modelo de produção atual não prevê uma distribuição equilibrada e sustentável, se produz muito, para poucos, mas a escolha de um novo sistema, mais justo em respeito à natureza e ao homem, depende dos governos, dos agricultores e dos consumidores que podem dar fim a estas prática agrícolas antiéticas e imorais.

FONTES:

chegadeagrotoxicos.org.br

DOSSIÊ ABRASCO e #ChegadeAgrotóxicos

Para Saber Mais:

Contaminação do leite materno nella città di Lucas do Rio Verde - Mato Grosso, 2011

Chuva de veneno nella scuola di Rio Verde - Goiás, 2013

Morte de trabalhador rural in Limoeiro do Norte, Ceará, 2013

 

Insalatine idroponiche con manga, papaia, palmito e gamberi all’olio d’oliva extra vergine
(Salada de folhas verdes, manga, papaia, palmito e camarão com azeite de oliva extravirgem)
Porção: 10 pessoas
Cozinha: mediterrânea
Categoria: entradas
Período: o ano todo
Tempo de preparo: 30 minutos
Ingredientes:
Para a salada
50 g alface crespa
50 g mimosa roxa
50 g radicchio roxo
50 g rúcula
50 g endívia crespa
250 g manga
250 g papaia
250 g palmito
250 g camarão
2 dentes de alho
15 g manjericão
10 g funcho
150 g azeite de oliva
q.b. sal
q.b. pimenta
Procedimento:
Lavar e limpar as folhas da salada verde e das ervas aromáticas. Descascar a manga e o papaia e cortá-los em cubos médios. Cortar o palmito em rodelas. Saltear o camarão com azeite de oliva, alho e ervas aromáticas. Dispor em um prato ou em um copo de vidro. Temperar com sal, pimenta e azeite de oliva extravirgem.

 

Versão em Italiano:

Il Pacchetto del Veleno

Sempre più persone si schierano nella lotta contro i pesticidi, in tutela della salute degli esseri umani, per un ambiente sano e con  prodotti e cibo di qualità. L'ONU ha dichiarato che i pesticidi sono responsabili per la morte di 200.000 persone, per avvelenamento acuto ogni anno e oltre il 90% dei decessi è avvenuto nei paesi in via di sviluppo. Esiste la volontá del governo di approvare il progetto di legge (PL) 6299/2002, noto come "Pacchetto del veleno" che consentirá la vendita di alcuni prodotti chimici senza la prescrizione e guida tecnica di un professionista legalmente qualificato che oggi é  obbligatoria in tutto il territorio nazionale per l'uso di agrotossici o correlati. In questo caso I pesticidi saranno definiti di "protezione fitosanitaria", nel tentativo di mascherare e coprire la nocività ampiamente nota di queste sostanze, favorendo ancora di più l'uso indiscriminato: fenomeno tanto assurdo da non sembrare vero.

Il Brasile é considerado uno dei paesi con il maggior consumo di pesticidi al mondo. Un dato dell'IBOPE mostra che 81% dei brasiliani ritiene "alta" o "molto alta” la quantità dei pesticidi applicata alle coltivazioni. Per questo motivo si é costituito um movimento per l’approvazione della “Politica Nazionale per la riduzione dei prodotti chimici agrari (PNARA) e altre misure" (PL667016). Il progetto che si trova al Congresso Nazionale é stato presentato dal Deputato Rodrigo Martins attraverso una richiesta (REQ 7157/2017) per la creazione di una commissione speciale  che analizzi il processo. (per saperne di più, clicca qui).

É molto importante informare che i prodotti chimici usati in maniera indiscriminata possono causare seri problemi di salute e a lungo andare, malattie croniche come il cancro, soprattutto per i produttori agricoli, piccoli e grandi che siano.

I corsi d'acqua e il suolo vengono contaminati, causando la “spirale chimica”,  ovvero se si usano  pesticidi, in futuro ne serviranno sempre di piú, minacciando le difese immunitarie degli alimenti e rendendo l’agricoltura dipendente dalle multinazionali che dominano il mercato; solo nel 2015, le aziende hanno guadagnato R$ 32 miliardi dalla vendita di prodotti agrochimici, mentre il Brasile ha investito solo R$ 3,8 miliardi nell'alimentazione scolastica oltre a diffondere l'idea che i pesticidi sono vitali per la sicurezza alimentazione umana. I danni che I pesticidi possono causare non si verificano solamente durante la produzione, trasporto o applicazione ma anche nei residui che permangono neli cibi, nel suolo, nell’acqua, nell’aria e tutto questo può danneggiare adulti e bambini nel mondo intero.

Contaminação do leite materno nella città di Lucas do Rio Verde - Mato Grosso, 2011

Chuva de veneno nella scuola di Rio Verde - Goiás, 2013

Morte de trabalhador rural in Limoeiro do Norte, Ceará, 2013

Sempre piú persone credono che i prodotti organici vadano utilizzati per una alimentazione socialmente giusta e come soluzione alle malattie, usate come prevenzione in sostituzione alla medicina convenzionale. Secondo la FAO oggi, l'11% di persone denutrite, oltre all'8% di obesi – per un totale di 1,2 miliardi di persone nel mondo - non si nutrono correttamente.

Il modello di produzione attuale non prevede una distribuzione equa e sostenibile, si produce molto e per pochi, ma la scelta di un nuovo sistema piú giusto in rispetto alla natura e all’uomo dipende dal governo, dagli agricoltori e dai consumatori che possono dare fine a queste pratiche agricole antietiche e immorali.

PL6299/02 - @slowfood.brasil

#mesasemveneno #chegadeagrotóxicos #naoao PLdogoverno

Fonte: chegadeagrotoxicos.org.br / contraosagrotoxicos.org/dossieagrotoxicos/ DOSSIÊ ABRASCO e #ChegadeAgrotóxicos