Menu

Adriana Schio

Legados da Segunda Edição da Gramado Summit

Foram três dias intensos que resultaram em muita troca de informações, experiências, reflexões e networking em torno do ecossistema de startups e do ambiente de inovação

A Gramado Summit 2018, realizada de 8 a 10 de agosto, na Expogramado, reuniu, de acordo com os organizadores, aproximadamente 2,5 mil participantes em cada um dos três dias de evento Maurício Benvenutti, sócio da StartSe, que autografou na Gramado Summit o livro "Audaz - As 5 Competências Para Construir Carreiras e Negócios Inabaláveis Nos Dias De Hoje" (Editora Gente) A segunda edição do evento de empreendedorismo digital deixa pelo menos seis legados, que permearam as falas dos palestrantes e as interações com startupeiros: coragem, persistência, propósito, confiança, resiliência e pessoas Palestra de José Galló, da Lojas Renner Palestra de Daniel Martin Ely, da Randon Palestra de Maurício Benvenutti, da StartSe Marcus Rossi, CEO da Gramado Summit

A Gramado Summit 2018, realizada de 8 a 10 de agosto, na Expogramado, reuniu, de acordo com os organizadores, aproximadamente 2,5 mil participantes em cada um dos três dias de evento, entre “startupeiros”, investidores, palestrantes, empreendedores e visitantes, consolidando-se como o maior encontro de startups early stage do país. Ao todo, 57 palestras foram apresentadas nos palcos Jobs e Gates e mais de 130 startups, dos mais diversos Estados e segmentos, estiveram em exposição e em contato com mais de 80 investidores, propiciando conexões para viabilizar aportes, desenvolver mentorias e oportunizar a jovens empreendedores a construção de negócios reais e com futuros possíveis.

A segunda edição do evento de empreendedorismo digital deixa pelo menos seis legados, que permearam as falas dos palestrantes e as interações com startupeiros: coragem, persistência, propósito, confiança, resiliência e pessoas. Sem esses ingredientes, parece difícil trilhar novos caminhos e sustentar novos negócios, mesmo que eles tenham uma boa dose de inovação. Entre os assuntos debatidos, esteve o desafio da conversão das empresas tradicionais para o modelo digital utilizando-se de startups e de modelos de transformação digital, como os cases do Banrisul, apresentado por Ranieri Fernandes, e do Grupo Randon, apresentado por David Randon e Daniel Martin Ely. Essas duas grandes empresas mostraram que é possível, sim, iniciar um movimento de mudança de mindset, tornando-se atento às inúmeras oportunidades do mercado digital.

A região da Serra esteve representada pela Randon e pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), que ocuparam o palco Jobs no primeiro e no segundo dia do evento para apresentar os seus movimentos no caminho da inovação e do empreendedorismo digital. Startups da região também se fizeram presentes, mostrando que a Serra, aos poucos, vem fomentando ideias inovadoras neste segmento. "Na Gramado Summit conseguimos reunir todo o ecossistema do Brasil em um lugar completamente fora do eixo tradicional de inovação. Tenho certeza que cada vez mais a Serra Gaúcha tem ganhado destaque no mercado nacional. É incrível ver jovens empreendedores abrindo novas perspectivas de negócios para suas empresas e quem sabe, assim, criar o futuro", avalia Marcus Rossi, CEO e idealizador do evento. Em conversa com startupeiros expositores, a avaliação geral foi positiva. A maioria destacou a geração de leads qualificados como principal retorno da participação nesta segunda edição do evento.

O público lotou a maior parte das plenárias. Entre os palestrantes mais elogiados, estiveram nomes como José Galló (Lojas Renner), Maurício Benvenutti (StartSe), Renato Mendes (Organica e ex-Netshoes), Tania Gomes Luz (33e34 Shoes), Max Oliveira (MaxMilhas), Rodrigo Cartacho (Sympla), David Randon (Grupo Randon) e Emília Chagas (Contentools). Destaco aqui algumas dicas da palestra do Maurício Benvenutti, sócio da StartSe, que autografou na Gramado Summit o livro “Audaz – As 5 Competências Para Construir Carreiras e Negócios Inabaláveis Nos Dias De Hoje” (Editora Gente):

“Hoje, entrar e manter-se competitivo no mercado requer cinco habilidades ou competências: a) causar impacto, traduzido por ter um propósito claro, melhorar a qualidade de vida das pessoas, corrigir o errado e prolongar o certo; b) olhar a próxima curva e o benefício do que se entrega; c) questionar as verdades prontas; d) fazer COM as pessoas e não PARA as pessoas; e) ser diverso, ou seja, entender o valor da diversidade de pensamento e de ideias”