Menu

Adriana Schio

Inteligência Artificial e o Futuro do Trabalho na Área Jurídica

Que desafios as novas tecnologias trazem para o mercado de trabalho? 

Certamente um dos maiores desafios que a "nova era" nos apresenta é a utilização de inteligência artificial, supercomputadores e robôs A reflexão foi a tônica do Meetup promovido pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), na noite do dia 26 de julho No final do encontro foram entregues aos participantes exemplares da última edição da revista NOI O clima descontraído do evento foi acompanhado pela degustação de chopp Felsen e petiscos

Certamente um dos maiores desafios que a “nova era” nos apresenta é a utilização de inteligência artificial, supercomputadores e robôs, que já estão substituindo seres humanos em algumas atividades. Para onde vamos com o avanço dessa tecnologia em âmbito global e também no Brasil? A reflexão foi a tônica do Meetup promovido pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), na noite do dia 26 de julho.

Em formato totalmente informal e descontraído, com os participantes acomodados em pufes e cadeiras, esse tipo de encontro reúne informação e networking, ao mesmo tempo em que agrega conhecimento, experimentação e demonstração. O meetup é um novo conceito de evento que segue modelos realizados no mundo todo, com formatos disruptivos e voltados ao conhecimento e a novas conexões. O clima descontraído foi acompanhado pela degustação de chopp Felsen e petiscos.

O tema do encontro – “Inteligência artificial e o futuro do trabalho: um case da área jurídica” – foi apresentado pelo advogado Orontes Mariani, sócio do escritório Botta Advogados e fundador da LegalTechLab. Entusiasta da aplicação de tecnologia nos serviços jurídicos, o palestrante apresentou os impactos do uso da inteligência artificial nos negócios, em especial no Direito, com a utilização de supertecnologias, Watson e outros computadores e ferramentas de inteligência, substituindo, simplificando e readequando o trabalho de advogados, juristas e estagiários.

Ele destacou que Ross é o Watson de um escritório de advocacia, criado para facilitar o trabalho de humanos na área jurídica. “A inteligência artificial é uma tecnologia ainda bastante cara, mas que facilita muito o trabalho e o dia a dia dentro dos escritórios de advocacia. A AI serve para analisar um volume massivo de dados com rapidez e um grau de confiabilidade que o ser humano não alcança”, pontua o advogado, citando como exemplos de uso dessa tecnologia no Brasil o Superior Tribunal de Justiça e a Receita Federal.

Para onde vamos com o avanço da tecnologia, que já está substituindo o ser humano em algumas tarefas? Esse foi o questionamento do final do encontro, levando os participantes à reflexão sobre a iminência do desemprego em algumas áreas. “Tudo o que fazemos que não agrega valor tende a ser substituído pela automação. A máquina fará as tarefas de rotina, o processamento e o armazenamento de dados, enquanto o homem exercerá funções mais estratégicas e que criam valor”, acredita Orontes Mariani.

No final do encontro foram entregues aos participantes exemplares da última edição da revista NOI